Time GRANDE!

Como você sabe que um time é Grande, mas GRANDE, mesmo? Quando os torcedores de TODOS os outros times torcem contra ele, oras!

Do proprietário deste blog, Marcos Doniseti.

domingo, 17 de junho de 2018

Copa 2018 - Brasil 1 X 1 Suíça: Seleção Brasileira mostrou fragilidade emocional depois que levou o gol de empate! - Marcos Doniseti!

Copa 2018 - Brasil 1 X 1 Suíça: Seleção Brasileira mostrou fragilidade emocional depois que levou o gol de empate! - Marcos Doniseti!
No meio da da pequena área, nas proximidades ou dentro da qual tínhamos 9 jogadores brasileiros (incluindo o goleiro), o suíço Zuber sobe sozinho para empatar o jogo contra o Brasil, aos 5 minutos do segundo tempo. Afinal, o time tem Goleiro para que? Para enfeitar a paisagem? Cadê o Allison na jogada? Ficou no vestiário? E os outros 8 jogadores, estão fazendo o que ali? Nem time de Série B do Brasileiro toma um gol ridículo desses. 

1) O Brasil jogou bem até fazer o primeiro gol, aos 20 minutos do primeiro tempo, que saiu quando dominava a partida. Daí, passou a tocar a bola e caiu de rendimento, como se estivesse contente com o 1 X 0;


2) O gol da Suíça foi resultado de uma falha coletiva da defesa brasileira, incluindo a zaga, mas principalmente do goleiro, o Allisson. 

Afinal, jogador adversário não pode subir sozinho na pequena área do Brasil e cabecear para o gol, né? 

Cadê os zagueiros? Cadê o goleiro? Ficaram no vestiário? 

Nem time de série B do Campeonato Brasileiro toma um gol desses. Tite deveria pensar seriamente em tirar Allisson e colocar o Ederson no lugar dele na próxima partida. 

Ridículo;

3) O Brasil sentiu o gol de empate dos suíços e ficou abalado emocionalmente, demorando para começar a reagir. Quando o fez, ainda criou algumas chances de gol, mas sem conseguir converter.

E parem de reclamar daquele leve empurrão do jogador suíço sobre o Miranda. Esse tipo de lance acontece com muita frequência e os árbitros, na maioria das vezes, não marcam nada.

O erro foi de Miranda, que ficou olhando a bola em vez de marcar o jogador suíço;

4) O time inteiro do Brasil jogou mal depois do gol de empate da Suíça. 

E já no primeiro tempo, os jogadores do lado direito (William, Paulinho e Danilo) estavam mal, mesmo naquele que foi o melhor momento do Brasil na partida, que durou até marcar o primeiro gol (Philippe Coutinho). 

O lado esquerdo ainda produzia alguns lances, tanto que o gol do Brasil saiu por ali.

Gabriel Jesus foi outro destaque negativo da partida. Não jogou nada. Ele é muito jovem e deve ter sentido a responsabilidade de ser titular do Brasil numa Copa do Mundo. É provável que não esteja pronto para isso. 

Tite deveria começar o próximo jogo com o Firmino em seu lugar.  

5) Se o Tite colocar o Fagner no lugar do Danilo e o mesmo jogar o que joga no Corinthians, ele vira titular absoluto até o final da Copa. Afinal, Danilo foi muito mal. Se não melhorar, Tite deveria colocar Fagner de titular. 

Fagner é bom ofensivamente e também é bom na defesa, sendo que recompõe rapidamente a marcação quando o time perde a bola no ataque. 

Apesar da baixa estatura, ele também é muito bom em jogadas aéreas, pois se posiciona muito bem e tem ótima impulsão. Cansei de ver o Fagner ganhar jogadas aéreas contra jogadores bem mais altos do que ele nos jogos do Corinthians na Arena. 

6) Falta um líder para essa Seleção do Brasil. 

O Brasil não tem um jogador experiente que pegue a bola, coloque-a embaixo do braço e comande a reação do time, depois que toma um gol, tal como o Didi fez na Copa de 1958, na final contra a Suécia.

Tudo indica que se o Brasil tomar o primeiro gol de uma partida, levar o empate ou tomar a virada, muito dificilmente conseguirá reagir, tal como aconteceu em 2010, quando tomou o empate da Holanda. A Seleção também desmoronou, na Copa de 2014, depois que levou o primeiro gol da Alemanha.  

E o resultado desse colapso emocional foi o 7 X 1.

Tite deveria ter convocado Diego, do Flamengo, para ser esse líder. Foi um erro não levá-lo para a Copa;

7) Neymar foi caçado, sim, pelos suíços, que se revezaram em fazer sucessivas faltas nele. E o fraco árbitro mexicano foi conivente com isso. 

Se o Messi e o Cristiano Ronaldo levassem uma pancada todas as vezes em que tentassem construir uma jogada, será que eles atuariam bem? Claro que não.

Lamentável;

8) Seleção que deseja ser campeã mundial tem quer ser boa tecnicamente, bem organizada taticamente e forte emocionalmente. 

Se tudo isso não estiver presente, esqueçam. Não vai ganhar nada. 

Essa Seleção do Brasil tem bom nível técnico e é bem organizada taticamente, mas parece ser frágil emocionalmente, o que faz com o que o time se desorganize depois de levar um gol (de empate, de virada...).

Se o Brasil continuar assim não ganhará nada e voltará mais cedo para casa. 

A única opção será começar ganhando todas as partidas e ampliar o marcador logo depois. Talvez assim o time fique calmo e, daí, possa mostrar o seu melhor futebol. 

Senão...

9) Para o próximo jogo, contra a Costa Rica, Tite deveria fazer algumas alterações:

A) Colocar Ederson no lugar de Allisson;
B) Colocar Renato Augusto no lugar de Paulinho;
B) Colocar Fagner no lugar de Danilo;
C) Colocar Firmino no lugar de Gabriel Jesus. 

Quem deseja ganhar uma Copa do Mundo não pode ter medo de promover mudanças depois de uma exibição ruim;

10) Viva México!

Link:

Melhores momentos do jogo Brasil 1 X 1 Suíça:

https://www.youtube.com/watch?v=IzD6FPfSkyA&t=31s


terça-feira, 12 de junho de 2018

Corinthians: Balancete do primeiro trimestre de 2018 fecha com Superávit de R$ 5,9 milhões no Futebo e Mídia esconde a informaçãol! - Marcos Doniseti!

Corinthians: Balancete do primeiro trimestre de 2018 fecha com Superávit de R$ 5,9 milhões no Futebol e Mídia esconde a informação! - Marcos Doniseti!
Corinthians: Departamento de Futebol do Clube teve um Superávit de R$ 5,9 milhões no primeiro trimestre de 2018, fato este que a Mídia escondeu do público.

Quando foi divulgado o Balancete do primeiro trimestre deste ano do Corinthians as palavras que mais se destacavam no noticiário da Mídia eram 'Déficit' e 'Dívida'. 


Vejam algumas das manchetes, a respeito do Balancete do Timão, de alguns dos principais sites de informação:

Terra: Corinthians fecha primeiro trimestre de 2018 com déficit, e dívida cresce!

Globo Esporte: Corinthians fecha primeiro trimestre de 2018 com déficit e vê dívida crescer!

ESPN: Corinthians fecha no vermelho e aumenta dívida no primeiro trimestre de 2018!

No entanto, para a minha surpresa, quando fui direto na fonte, ou seja, fui ler o Balancete do primeiro trimestre de 2018, que foi publicado na Internet e que está disponível para ser baixado por qualquer pessoa, acabei descobrindo uma informação muito importante e à qual nenhum site deu qualquer importância em suas manchetes, que é o fato de que o Departamento de Futebol do Corinthians teve um SUPERÁVIT de R$ 5,9 milhões no primeiro trimestre de 2018.

Assim, o Futebol do Corinthians arrecadou mais do que gastou no primeiro trimestre de 2018. Mas é claro que isso não recebeu nenhum destaque da Mídia, que possui um ódio mortal do Corinthians. 

Então, porque o clube terminou esse período com um Déficit de R$ 2,6 milhões?

Simples: Quem gerou esse Déficit foi a parte do Clube Social e dos Esportes Amadores, que somaram um Déficit de R$ 8,5 milhões. 

Desconta-se o Superávit que o Futebol gerou (que foi de R$ 5,9 milhões) e daí surge esse Déficit de R$ 2,6 milhões.

É verdade que o Superávit foi alcançado graças ao recebimento dos Direitos Federativos originários da venda de jogadores, que rendeu R$ 38,5 milhões no primeiro trimestre deste ano para o Corinthians.

Mas isso é algo que vale para praticamente todos os clubes brasileiros, que jamais conseguem fechar seus Balanços com Superávit a não ser que se desfaçam de alguns dos seus principais jogadores, vendendo os mesmos para clubes da Europa, Oriente Médio, China, Japão, México. 

A única exceção, entre os clubes brasileiros, é aquele que possui uma empresa do setor financeiro que injeta R$ 100 milhões anualmente no clube que 'patrocina'. 

Precisa dizer o nome desse clube? Creio que não. 

Já os demais...

Links:

Transparência Corinthians:

https://www.corinthians.com.br/clube-transparencia/

Balancete do Corinthians no primeiro trimestre de 2018!

https://cdn.corinthians.com.br/wp-content/uploads/2015/01/05112048/Balanço-Patrimonial-Mar-2018.pdf

Manchetes da Mídia sobre Balancete do Corinthians escondem Superávit obtido pelo Futebol do Clube no primeiro trimestre de 2018!

https://www.terra.com.br/esportes/lance/corinthians-fecha-primeiro-trimestre-de-2018-com-deficit-e-divida-cresce,492661b2c553e685eac6aec90c78637f0ytwfv00.html

https://globoesporte.globo.com/futebol/times/corinthians/noticia/corinthians-fecha-primeiro-trimestre-de-2018-com-deficit-e-ve-divida-crescer.ghtml

domingo, 10 de junho de 2018

Corinthians: Loss insiste em um 4-2-4 que não funciona mais e Timão apenas empata com o Vitória! Timão tem que ser mais criativo e ofensivo!- Marcos Doniseti!

Corinthians: Loss insiste em um 4-2-4 que não funciona mais e Timão apenas empata com o Vitória! Corinthians tem que ser mais criativo e ofensivo! - Marcos Doniseti!
Corinthians 0 X 0 Vitória, pela 11a. rodada do Brasileiro. Osmar Loss demorou para substituir e errou na primeira alteração, pois trocou 6 por meia-dúzia, não alterando o esquema de jogo do time. 

Basta de 4-2-4!


Eu não consigo entender porque o novo treinador corintiano, Osmar Loss, insiste em manter um esquema tático que não funciona mais. 

E isso ficou evidente, mais uma vez, ontem, na partida contra o Vitória, na Arena, que terminou 0 X 0, na qual o Timão não conseguiu furar a forte retranca do time baiano, que é treinado por Vagner Mancini, que sabe como organizar um time defensivamente, a não ser em raros momentos. 

Esse esquema não funcionou direito nem mesmo com o Carille, pois levou o Timão a sofrer 6 derrotas no Paulista e mais 2 na Libertadores (estas foram dentro da Arena, para Independiente e Millonarios). 

A conquista do Paulista deste ano foi fruto mais do entrosamento do time, que manteve a mesma base campeã paulista e brasileira de 2017, e da determinação e qualidade dos jogadores. Tenho certeza de que com outro esquema o Timão também teria sido campeão. 

Assim, é preciso voltar, urgentemente, ao 4-2-3-1 com o qual o Corinthians conquistou o Paulista e o Brasileiro de 2017, ou então adotar um outro esquema, que priorize o jogo ofensivo, que poderia ser o 4-1-3-2, sobre o qual comento mais adiante no texto. 
Jogadores do Corinthians se aquecem antes do jogo contra o Vitória. 

A respeito do retorno do 4-2-3-1, a sua adoção por Loss poderia ser válida por vários motivos:


A) Em primeiro lugar, os jogadores estão mais acostumados com esse esquema, que foi usado durante todo o ano de 2017. 

B) Em segundo lugar, ele foi um esquema vitorioso. 

C) Em terceiro lugar, o novo esquema tático (4-2-4) nunca funcionou de maneira adequada, fazendo com que o Corinthians oscile bastante nos campeonatos. 

Com o 4-2-4, o Corinthians se tornou um time muito irregular, jogando bem algumas partidas (contra o Palmeiras e o Millonarios, apesar de ter perdido este jogo), e muito mal outras (América-MG, apesar da vitória, e nos empates em casa contra Ceará, Santos, Vitória).

No 4-2-4, o Corinthians praticamente fica sem criação nenhuma no meio-de-campo, sendo que os jogadores do meio e do ataque ficam muito distantes uns dos outros. 

E depois que Jadson (um armador típico) passou a sofrer com contusões frequentes, ficando muito tempo afastado (o que prejudica o seu ritmo de jogo), a situação piorou muito, pois quem está armando as jogadas do time são Gabriel e Maycon, que não tem essa característica de criadores de jogadas. 
Jogadores do Vitória se aquecem antes da partida. Time baiano jogou na retranca e conseguiu segurar o Corinthians, que pouco criou.

Gabriel exerce a função de jogador de marcação, sendo o chamado 'cão-de-guarda' à frente da defesa, enquanto que Maycon é um ótimo jogador (que sabe marcar, roubar a bola, sair jogando, chegar ao ataque e finalizar), mas também não é criador de jogadas. E ele também está de saída para a Ucrânia. A partida contra o Bahia deverá ser a sua última pelo Timão, infelizmente. Ele tem um imenso potencial e um grande futuro, com certeza. 


Com isso, os jogadores do ataque não recebem bola em condições de finalizar, a não ser em raríssimas ocasiões. 

Desta maneira, o meio-de-campo e o ataque do Corinthians acabam não dialogando entre si, pois os dois setores estão muito distantes. 

Assim, o Corinthians está totalmente acéfalo no meio-de-campo, pois não existe criação de jogadas. 

O que se faz é jogar as bolas para Pedrinho e Mateus Vital, que atuam abertos pelas pontas, na esperança de que eles construam as jogadas de ataque do time. 

Pedrinho tem sido o mais ativo neste quesito e sempre cria alguma jogada importante, como aquela em que driblou três jogadores do Santos e exigiu uma ótima defesa de Vanderlei. Contra o Vitória, ele fez um ótimo cruzamento para a área e Sidcley, livre, cabeceou na trave, perdendo um gol feito. Mateus Vital também perdeu uma ótima chance, depois de receber ótimo passe de Maycon, cara-a-cara com o goleiro, no segundo tempo. 
Arena Corinthians, vista do lado de fora, antes do início da partida. 

Mas como a criação no meio-de-campo não existe, o jogo do Corinthians torna-se previsível, facilitando a marcação dos adversários, pois fica inteiramente concentrado nas laterais do campo. E como 
os adversários sabem que as jogadas do Corinthians serão todas pelas laterais, então eles fecham os dois lados da defesa, bloqueando as ações do Timão. 

Desta forma, o Corinthians acaba sendo bem neutralizado pelos adversários, pois todas as suas ações, pelo meio e pelas laterais, são bem marcadas. 

Somente em poucos momentos é que se cria algo diferente e o Corinthians consegue levar perigo aos adversários. 

Portanto, o Corinthians vive em função de jogadas individuais em determinados momentos da partida, mas durante quase todo o tempo não consegue levar perigo aos gols adversários, devido ao fato de não ter um meio-de-campo criativo e dos atacantes estarem bem marcados. 

E ultimamente, quando essas jogadas acontecem, o Corinthians não aproveita, como aconteceu ontem com Sidcley e Mateus Vital, que desperdiçaram as duas melhores chances do Corinthians na partida. Caso eles tivessem aproveitado as suas chances, o Timão teria saído com a vitória. 
Telão da Arena Corinthians, antes do início da partida. 

Loss demorou para mexer no time e errou na primeira alteração!


Nesta partida contra o Vitória, Osmar Loss demorou muito para mexer no time, o que ele foi fazer apenas aos 24 minutos do segundo tempo, tirando Mateus Vital e colocando Marquinhos Gabriel. 

A entrada de Marquinhos Gabriel foi correta, pois ele entrou e jogou bem, fazendo boas jogadas individuais e procurando abrir espaços na defesa do limitado time baiano, mas Loss errou feio em tirar Mateus Vital. 

Afinal, ao fazer isso ele manteve o mesmo esquema tático que não está funcionando há 'séculos' e que também não estava dando certo na partida de ontem.

Assim, Loss simplesmente trocou 6 por meia-dúzia, quando, naquele momento, o que o Corinthians precisava era passar a ter um time com maior poder de criação de jogadas e que chegasse com mais força e criatividade ao ataque. 

Assim, Loss deveria ter tirado Gabriel e recuado Maycon para a posição de 'primeiro volante', colocando Mateus Vital ou o próprio Marquinhos Gabriel para organizar as jogadas do time pelo meio. 

Loss somente se deu conta disso aos 38 minutos do segundo tempo, quando colocou Emerson Sheik e tirou Gabriel, sempre incansável na marcação mas que não é criador de jogadas. Depois, já nos últimos minutos, Loss tirou Roger, que foi muito mal, e colocou Matheus Matias, que não teve tempo de fazer nada. 
Pouco mais de 27 mil pagantes compareceram à Arena Corinthians nas partidas contra Santos e Vitória. A grave crise econômica e social do país, o mal momento do Timão e o fato do preço dos ingressos ter sido aumentado neste ano reduziram a média de público nesta temporada. 

Sheik entrou jogando com muita vontade e tentando quebrar a forte marcação defensiva do Vitória, bem como ajudou na marcação, chegando a roubar uma bola do defensor do Vitória com um carrinho feito com muita classe. 
Sheik jogou pelo meio, ponta direita, ponta esquerda, se movimentando bastante. Seriedade e determinação não faltaram para Sheik na partida de ontem. 

Pedrinho, por sua vez, passou a procurar mais vezes o jogo pelo meio, pois estava fortemente marcado na ponta direita, tentando criar jogadas de ataque e abrir espaços, com dribles e tabelas, na defesa do Vitória. 

Com essa formação, o Corinthians abandonou o ineficiente 4-2-4 e, na prática, adotou um 4-3-3 (com Maycon, Sheik e Pedrinho pelo meio e, na frente, Marquinhos Gabriel, pela esquerda, e Rodriguinho e Matheus Matias centralizados no ataque). 

Mesmo com o lado direito quase abandonado, pois Pedrinho passou a ir jogar com mais frequências pelo meio, o Corinthians melhorou bastante e passou a sufocar o Vitória, criando várias situações de perigo, que poderiam ter resultado em gol, mas faltou tempo para isso, devido ao fato de Loss ter demorado para perceber a necessidade de abandonar o esquema totalmente fracassado do 4-2-4. 

Daí, fica a dúvida: Será que se Loss tivesse colocado Marquinhos Gabriel e Emerson Sheik aos 15 minutos do segundo tempo, e deixasse Mateus Vital na partida, colocando o time para jogar com muito mais força e intensidade para cima do Vitória, o Timão não teria conquistado a vitória? 

Muito provavelmente isso teria acontecido, até porque o time baiano se limitou a ficar na defesa o tempo inteiro, pouco ameaçando o Corinthians. 
Jogadores do Corinthians, antes do início da partida contra o Vitória. 

Corinthians X Bahia: Marquinhos Gabriel e Sheik tem que começar jogando e Timão tem que tentar a vitória desde o começo!

Espero que Osmar Loss tenha se dado conta dos erros cometidos nesta partida contra o Vitória e corrija os mesmos já na próxima partida contra o Bahia, nesta quarta-feira, que será a última do Corinthians antes da Copa do Mundo.

Aliás, em função de ter obtido apenas dois pontos em duas partidas consecutivas na Arena, contra o Santos (que tem um bom time e que poderá subir de produção nas próximas rodadas) e o limitado time do Vitória, Osmar Loss deveria começar a partida contra o Bahia já com Marquinhos Gabriel e Emerson Sheik no time titular, colocando Gabriel e Roger na reserva.

Afinal, ficou claro nesta partida contra o Vitória que o time melhorou bastante com as entradas de Marquinhos Gabriel e Sheik. Logo, não há motivo para que Loss não inicie a partida contra o Bahia com os dois jogadores de titulares.

Eles tem que ser titulares desde o início e o Corinthians tem que partir para cima do time baiano a fim de conquistar a vitória. Desta maneira, pelo menos, o Timão poderá terminar a fase pré-Copa do Brasileirão embolado com outros times nas primeiras colocações. 

Até porque outros times (principalmente o Flamengo) estão conquistando muitos pontos e já começam a abrir uma boa vantagem sobre o Timão. 

O Flamengo já tem 23 pontos e tem tudo para derrotar o Paraná, hoje, contra apenas 16 do Corinthians, podendo chegar a 26 pontos. Assim, a diferença entre os dois times poderá terminar a 11a. rodada com 10 pontos de vantagem para o rubro-negro do Rio de Janeiro.

Temos muito campeonato pela frente, sim, e o Flamengo perderá jogadores importantes nesta janela de transferências (Vinicius Jr. irá para o Real Madrid e Felipe Vizeu irá para a Udinese, da Itália), mas essa diferença de pontos precisa ser reduzida. 
Tivemos um minuto de silêncio em homenagem à tenista Maria Esther Bueno, falecida aos 78 anos, nesta Sexta-Feira (08/06/2018). 

E para que isso aconteça, o Corinthians precisará derrotar o Bahia e torcer para que o Flamengo perca do Palmeiras na próxima rodada. 


Então, espero que Loss deixa o conservadorismo de lado e coloque um time mais ofensivo para essa importante partida contra o Bahia, pois o Corinthians precisa da vitória.

Contra o Bahia, o Corinthians deveria jogar no 4-1-3-2, sendo escalado assim: Walter, Mantuan, Pedro Henrique, Henrique, Sidcley; Maycon; Pedrinho, Mateus Vital, Marquinhos Gabriel; Rodriguinho e Sheik. 

Pedrinho continuaria jogando pela lado direito e Marquinhos Gabriel ocuparia o lado esquerdo do ataque. Mateus Vital jogaria centralizado, sendo responsável pela organização de jogadas do time, junto com os dois 'pontas'. Sheik e Rodriguinho jogariam no ataque. 

Assim, o Corinthians teria um time mais criativo, mais rápido e mais ofensivo. 

Osmar Loss pode ter o apoio do atual presidente do Corinthians, Andrés Sanchez, mas se continuar acumulando resultados ruins as cobranças da exigente Fiel Torcida poderão obrigar o Timão a procurar um treinador mais experiente. 

Então, Loss deveria abandonar o conservadorismo e colocar o Timão para jogar com mais ousadia e ofensividade contra o Bahia. Essa mudança poderá dar certo ou não, mas pelo menos ele estará fazendo algo diferente. 

Vai Corinthians!
Formação tática atual do Corinthians (4-2-4) fica bem clara logo no pontapé inicial. Tal esquema não está funcionando e precisa ser abandonado. 

Desempenhos individuais!


A) Roger está muito mal e fez uma partida muito ruim, saindo muito vaiado pela Fiel Torcida. Mesmo com a sua elevada estatura ele não consegue ganhar quase nenhuma jogada aérea. E com a bola no chão não é diferente. 

Talvez ele venha a subir de produção com esse período de treinos, mas entendo que ele deveria ser reserva, ficando como opção no banco. Aliás, é o que deverá acontecer quando os jogadores que desfalcam o time neste momento (Ralf, Renê Jr, Fagner, Jadson, Romero) retornarem ao time. 

B) Rodriguinho melhorou em relação às péssimas atuações anteriores, até porque não tinha como piorar, mas ainda está abaixo do que ele pode jogar. Pelo menos ele foi mais rápido ao passar a bola e foi menos desarmado, mas não ajudou na criação de jogadas, pois ficou perdido no meio dos defensores do Vitória. Isso acontecer porque ele está jogando na posição errada, pois deveria estar jogando pelo meio, buscando a bola com os volantes e dando início as jogadas ofensivas do Timão e não ficar enfiado no ataque, em meio a 'trocentos' jogadores das defesas adversárias, que impedem que ele jogue.

Além disso, ao ficar no ataque, ele demora para voltar para a defesa quando o Corinthians perde a bola. O mesmo vale para Pedrinho, Mantuan e para Roger. 

Estes quatro são jogadores cuja recomposição é lenta, o que faz com que o Corinthians fique muito exposto aos contra-ataques em velocidade dos adversários. 

É que o time do Vitória é limitado e ficou na retranca o tempo inteiro, mas contra o Santos, que possui um time bem melhor, o Timão sofreu com isso.

Se Rodriguinho jogasse mais recuado, vindo buscar a bola, ficaria mais fácil para ele fazer a recomposição, ajudando na marcação defensiva, e o seu rendimento e do time iriam melhorar.
Esta foto, que tirei na partida contra o Vitória, é bem nítida ao mostrar os espaços muito grandes que existem entre os diferentes setores do time do Corinthians. Isso acontece devido ao equivocado esquema 4-2-4, que foi adotado por Carille neste ano e ao qual Osmar Loss deu continuidade. No 4-2-3-1 adotado no ano passado isso não acontecia. 

C) Quero destacar também a ótima atuação de Pedro Henrique, que esteve muito seguro e confiante, demonstrando claramente que está pronto para substituir Balbuena, cujos empresários demonstraram possuir uma vontade imensa de levá-lo para a Europa, até porque querem embolsar alguns milhões de Euros de 'luvas'.

Balbuena é um ótimo zagueiro e honrou o manto do Timão, mas é mais um jogador que decide ir embora depois que se destacou com a camisa do Corinthians. Independente disso, quero desejar boa sorte a ele em sua carreira. 

E quero desejar mais sorte ainda para o Pedro Henrique, que já mostrou que tem totais condições de ser o novo zagueiro titular do Timão. Que o Corinthians nem pense em vendê-lo. 

D) Pedrinho também tentou criar jogadas ofensivas para o Timão e, desta vez, jogou os 90 minutos. Quero apenas destacar que é necessário que alguém faça a recomposição pelo lado direito da defesa quando o Corinthians perde a bola no ataque, pois Pedrinho não pode ficar sendo acionado, em velocidade, no ataque o jogo inteiro e ainda ter que voltar para a defesa, a fim de ajudar na marcação. 

Afinal, Pedrinho é um jogador de futebol e não uma máquina. 

Loss deveria orientar algum jogador do meio-de-campo para fazer essa função pelo lado direito no lugar de Pedrinho, a fim de preservar este para a criação de jogadas ofensivas. Entendo que esta função deveria ser feita pelo Mateus Vital que, no esquema que defendo para o Corinthians, jogaria centralizado no meio-de-campo.
Os imensos espaços entre os diferentes setores do time do Corinthians facilitam os contra-ataques adversários. Nesta imagem isso fica claro. Notem que o 'ponta-direita' do Vitória está livre, sem marcação, pois Sidcley não estava em sua posição. Jogadores do meio-de-campo e do ataque também estão distantes. E aí, Osmar Loss, você irá mesmo continuar com esse esquema fracassado do 4-2-4? Espero que não. 

E) Marquinhos Gabriel e Emerson Sheik: Como eu já disse, o time melhorou bastante e ficou muito mais ofensivo após as entradas deles. Espero que ambos comecem a partida contra o Bahia na condição de titulares, pois o Corinthians precisa vencer esse jogo se quiser continuar ambicionando o título do Brasileirão 2018. 


F) Outros: 

Walter foi pouco exigido, mas esteve bem quando isso aconteceu. Foi seguro e tranquilo. 

Henrique esteve bem em quase toda a partida e manteve a regularidade que o caracteriza.  

Sidcley é outro jogador que demora para fazer a recomposição defensiva, mas isso é uma característica dele. Mas o que critico nele é a sua tendência para estar sempre querendo fazer jogadas de efeito (pedaladas, toques de calcanhar) em momentos inadequados (quando está bem marcado, por exemplo), o que o leva a perder a bola para os adversários. 

Loss deveria chamar a sua atenção a fim de que ele pare com isso e jogue com seriedade. 

Mantuan mostrou, mais uma vez, que deveria jogar como segundo volante, pois ele carrega bem a bola e chegou a fazer uma ótima jogada individual, saindo da defesa e chegando perto da área do Vitória, mas demorou para fazer o passe e acabou desarmado. Mas ficou claro que essa é a sua principal virtude, conduzir bem a bola, o que poderá fazer dele o substituto de Maycon, que está indo para a Ucrânia. Em sua posição de origem ele poderia passar a jogar muito melhor.  
Corinthians tenta iniciar um ataque contra o Vitória. Percebe-se que os espaços entre a defesa e o meio-de-campo do time baiano são reduzidos, o que dificultou as ações ofensivas do Timão.  

Corneteiros estúpidos não apareceram! 


Um aspecto positivo desta partida contra o Vitória, a que fui assistir na Arena, é que não tive nenhum corneteiro idiota perto de mim para ofender os jogadores o tempo inteiro, tal como aconteceu na partida contra o Santos. 

O único momento de cornetagem estúpida se deu quando um torcedor, que sentava na fileira logo acima daquela em que sempre fico (na Leste Inferior Central), gritou que Pedrinho tinha que pedir para sair do jogo e o chamou de cachorro, o que prova que este imbecil não sabe nada sobre futebol e que deve ter a mãe presa em algum canil por aí. 

Afinal, quem fica chamando os outros de cachorro é porque tem uma mãe que não passa de uma cadela vagabunda, certo?. 

Aliás, quero elogiar a Fiel Torcida, que se comportou muito bem nesta partida, apoiando o time o tempo inteiro, apesar da exibição ruim do Corinthians, que somente melhorou após as entradas de Marquinhos Gabriel e Emerson Sheik, quando sufocou o Vitória por cerca de 15 minutos e teve a chance de sair com a vitória. 

Depois que a partida acabou é que a torcida vaiou, o que é mais do que compreensível, em função do momento ruim que o time vive nesta temporada. Mas enquanto o jogo esteve em andamento, apoio não faltou. 

Assim, os corneteiros estúpidos tiveram que ficar quietos durante a partida. Que continuem assim. 
Momento em que o jogo foi paralisado para substituição do Vitória. Osmar Loss demorou muito para substituir e quando o fez, na primeira vez, errou ao tirar Mateus Vital. Timão precisava ganhar e Marquinhos Gabriel deveria ter entrado no lugar de Gabriel, para tornar o time mais ofensivo, até porque o Vitória se limitava a ficar na defesa. 

Links:


Osmar Loss será mantido no cargo, independente de resultado da partida contra o Bahia:

https://www.meutimao.com.br/noticias-do-corinthians/291310/diretor-de-futebol-garante-que-loss-permanece-no-corinthians-jogo-contra-o-bahia-nao-influencia

Gabriel: Falta de tempo para treinar impede que Corinthians corrija os erros:

https://www.meutimao.com.br/noticias-do-corinthians/291330/gabriel-ve-pausa-para-copa-do-mundo-como-primordial-para-ajustes-no-corinthians

Osmar Loss: Período de treinos durante a Copa será fundamental para corrigir os erros do time:

https://www.meutimao.com.br/noticias-do-corinthians/291319/osmar-loss-a-fiel-torcida-vamos-colocar-o-corinthians-onde-ele-deve-estar

sábado, 9 de junho de 2018

Corinthians: Afinal, porque um torcedor vai até a Arena só para cornetar o time?

Corinthians: Afinal, porque um torcedor vai até a Arena só para 'cornetar' o time? - Marcos Doniseti!
Times do Corinthians e do Santos alinhados para execução do Hino Nacional. O jogo foi equilibrado e terminou 1 X 1, que foi um placar justo pelo que os dois times fizeram. No entanto, o árbitro deixou de expulsar o lateral santista Victor Ferraz em um lance no qual este escorregou no gramado e colocou a mão na bola intencionalmente, sendo que ele já tinha o cartão amarelo.   

Se tem uma coisa que eu não entendo, é porque um torcedor sai de sua cidade, localizada a mais de 50 quilômetros da capital paulista, para ir até a Arena Corinthians e ficar xingando e cornetando os jogadores do clube o tempo inteiro e não dá um grito de incentivo ou de apoio ao time durante toda a partida??? 


Se é para fazer isso, então porque esse sujeito se deu ao trabalho de gastar tanto dinheiro (com pedágio, combustível...) e perder tanto tempo de sua vida (algo como umas 4 horas, pelo menos) para ir até a Arena e se limitar a xingar os jogadores do time para o qual ele torce?

Afinal, se é para xingar e cornetar, então ele pode fazer isso dentro da sua própria residência e sem gastar coisa alguma (nem tempo e tampouco dinheiro). 

Pois foi exatamente isso que aconteceu nesta última partida do Timão, que fui assistir na Arena, contra o Santos. 

Infelizmente, eu tive o desprazer de ficar ao lado justamente de um corneteiro patético, que demonstrou um total desconhecimento sobre futebol. 

Eu tinha que ficar explicando para ele as circunstâncias do jogo (o que o Corinthians estava fazendo de errado, qual era a estratégia do Santos...), pois caso contrário ele não iria entender nada sobre o que estava acontecendo na partida. Assim, a cada comentário meu sobre os dois times e a partida ele era obrigado a dizer que eu estava certo. 

O sujeito é tão corneteiro chegou ao ponto de xingar o Pedrinho quase que o tempo inteiro dizendo que conhece uns 10 jogadores da várzea que são melhores do que o jovem e talentoso jogador do Corinthians. E vejam que o Pedrinho fez uma partida muito boa, partindo para cima dos adversários e tentando criar jogadas que resultassem em gol.

Esse corneteiro imbecil chegou a dizer que o Pedrinho não passava de um peso morto, bem como de um 'vagabundo'. 
Santos deu o pontapé inicial da partida. Gabigol perdeu dois gols feitos e foi o destaque negativo do time do litoral. Pedrinho e Romero foram os melhores do Corinthians, junto com a dupla de zaga (Balbuena e Henrique). Pedrinho se destacou bastante, mas cansou e foi substituído. Percebe-se que ele se desgasta muito por ter que voltar para ajudar na marcação defensiva. Loss precisa colocar outro jogador para fazer isso, a fim de permitir que Pedrinho não se desgaste tanto. 

Aliás, esse foi o momento que eu mais gostei da partida, não pela ofensa estúpida que ele dirigiu ao Pedrinho, é claro, mas porque segundos depois o Pedrinho fez aquela jogada fantástica, a mais bonita da partida e uma das mais belas do Brasileiro até agora, quando driblou três jogadores santistas e finalizou na direção do gol, sendo que o seu chute exigiu uma bela defesa do ótimo goleiro Vanderlei. 


Sem brincadeira, logo depois dessa jogada esse corneteiro estúpido simplesmente não sabia onde enfiar a cara. Ele virou o rosto para o outro lado, talvez para não ter que me encarar. 

Mas vocês acham esse imbecil deu o braço a torcer? Que nada. Ele simplesmente disse que o Pedrinho havia ouvido o xingamento dele e que, por isso, havia feito aquela bela jogada. 

Dá para acreditar numa idiotice destas? Oras, isso é que é não ter vergonha na cara.  

É claro que o Pedrinho nem ouviu o xingamento desse idiota. Ele fez essa bela jogada porque é um jogador de muito talento e que ainda tem condições de melhorar bastante a qualidade do seu futebol, pois é muito jovem (tem apenas 20 anos), possuindo um imenso potencial.

Os comentários desse corneteiro também foram de uma total incoerência. 
O Corinthians sentiu muito a ausência de alguns dos seus principais jogadores. Fagner, em especial, faz muita falta, pois é excelente na defesa e no apoio ao ataque, além de recompor rapidamente a marcação defensiva, o que Mantuan não consegue fazer, pois sequer é lateral, mas segundo volante. Ele está improvisado na posição e, assim, alterna momentos bons e ruins durante as partidas. Se ele jogasse em sua posição original com certeza Mantuan jogaria muito melhor, pois é bom jogador, sim, e tem um grande potencial. 
Afinal, ele ficou a partida inteira falando que o Rodriguinho é péssimo e que não joga nada. 

Eu discordei, afirmando que o Rodriguinho é um jogador cujo rendimento oscila bastante, alternando partidas boas e ruins, e que o seu principal problema é a falta de regularidade. Daí ele concordou com o que eu afirmei para, minutos depois, dizer novamente que o Rodriguinho é muito ruim. E no final do jogo vocês sabem o que ele falou? Ele disse que o Rodriguinho é um jogador muito bom...

É sério. 

Por isso mesmo é que pergunto: Será que este corneteiro é corintiano, mesmo? Ou ele é apenas bipolar? 

Insatisfação dos corintianos é mais do que compreensível!

Que a torcida do Corinthians esteja insatisfeita com o atual momento do time, isso é algo perfeitamente compreensível, pois o Timão vem acumulando uma sucessão de resultados ruins, que já começaram no campeonato Paulista (apesar do título) e que tiveram continuidade no Brasileiro. 

Já comentei, de forma bem mais detalhada, em outro texto que publiquei aqui no blog, há poucos dias, quais são, a meu ver, os principais motivos do momento ruim que o Corinthians está vivendo: 

A) Excesso de desfalques (cerca de 10 jogadores estão afastados);
Desde 15 de Abril que o Corinthians não sabe o que é treinar de verdade, o que impede o novo treinador, Osmar Loss, de corrigir os erros do time. Pelos comentários que vejo em sites e nas redes sociais parece que muitos torcedores e comentaristas não sabem que é nos treinos que se procura corrigir as falhas dos times. Eles devem pensar que isso é feito nos hotéis e aeroportos. 

B) Falta de tempo para treinar devido ao excesso de jogos; O time não teve nenhum treino livre desde 15 de Abril, pois desde essa data o Corinthians está sempre jogando no final e no meio de semana, sendo que está disputando três campeonatos muito difíceis: Libertadores, Brasileiro e Copa do Brasil; 


C) Um esquema tático equivocado (o 4-2-4, que já mostrou que não está funcionando) e que somente poderá ser corrigido, ou mesmo abandonado, quando Osmar Loss tiver tempo para treinar, o que somente irá acontecer durante a Copa do Mundo;

D) Jogadores mal posicionados em campo, principalmente os 2 dois meio-campistas e os 4 atacantes; 

E) Falta de opções melhores entre os reservas.

Estes foram alguns dos motivos que apontei para a queda de rendimento do Corinthians, e que já vinha, como já afirmei, desde o Campeonato Paulista. 

Mas, entendo que por mais insatisfeito que o torcedor corintiano esteja (e com razão), ele deve ir até a Arena Corinthians para apoiar o time e não para ficar xingando e cornetando os jogadores o tempo inteiro.

Durante a partida, os torcedores devem cobrar e apoiar. Jogaram mal? O resultado foi ruim? Então, que deixem para fazer as críticas depois que o jogo terminar. 

Enquanto a partida estiver em andamento entendo que o certo é apoiar o time. 

Vai Corinthians!
Um dos principais problemas do Corinthians atualmente está na distância entre os dois jogadores do meio-de-campo e os 4 atacantes. A tarefa de armar as jogadas do time acaba ficando com Gabriel e Maycon, que não possuem essa característica. Jadson ou Mateus Vital deveriam jogar centralizados e próximos deles, a fim de organizar a criação de jogadas. 

Links:


Corneteiros já querem derrubar Osmar Loss:


http://futebolefantasia.blogspot.com/2018/06/corinthians-corneteiros-ja-comecaram.html

A sensacional jogada de Pedrinho:

https://www.meutimao.com.br/videos-do-corinthians/96099/a-jogada-incrivel-do-pedrinho-contra-o-santos-na-arena-corinthians

terça-feira, 5 de junho de 2018

Corinthians: Corneteiros já começaram a tentar derrubar Osmar Loss! - Marcos Doniseti!

Corinthians: Corneteiros já começaram a tentar derrubar Osmar Loss! - Marcos Doniseti!
Imagem do jogo Corinthians 2 X 0 Bragantino, pelas quartas-de-final do Paulista, que foi conquistado pelo Corinthians. 

É inacreditável, mas um certo número de torcedores do Corinthians já está querendo a demissão de Osmar Loss, que mal começou o seu trabalho à frente do Timão. 


E os argumentos apresentados são os mais absurdos possíveis, pois não levam em consideração o momento complicado vivido pelo Corinthians.

Para se constatar isso, basta saber do seguinte:

1) Desfalques!

Atualmente, o Corinthians tem inúmeros jogadores afastados, sendo que dois (Cássio e Fagner) estão com a Seleção Brasileira, enquanto que outros se submetem a tratamento médico ou se recuperam de lesões e cirurgias, que são: Danilo, Emerson Sheik, Ralf, Renê Jr, Clayson, Romero e Léo Santos. 

Destes jogadores, 4 são titulares absolutos: Cássio, Fagner, Ralf, Romero e outros 4 são jogadores que participam de inúmeros jogos, tais como Renê Jr, Clayson e Sheik. 

Clayson foi titular em boa parte do Brasileirão, principalmente na etapa final, quando marcou gols importantes e chegou a ser o melhor jogador ofensivo do time. Em 2018, ele não começou jogando muito bem, mas era questão de tempo até ele melhorar de rendimento, o que seria fundamental para o Corinthians.

Somente Danilo tem uma participação reduzida durante a temporada, pois está se aproximando do encerramento de sua carreira. 

E agora o Corinthians também perdeu Jadson, que sofreu um estiramento muscular e somente voltará a jogar após a Copa do Mundo. Portanto, ele é o oitavo jogador lesionado do Timão. 

As dificuldades para que Osmar Loss possa escalar o time ficaram claras nas últimas partidas, quando até mesmo para montar o banco de reservas foi bastante complicado, em função de todas estes desfalques.

Dizer que todos estes desfalques não prejudicam o rendimento do time é um absurdo total e somente são feitos por quem não sabe coisa alguma a respeito de futebol.
A Fiel Torcida está sempre presente nos jogos do Corinthians na Arena. Não é à toa que o Timão possui a maior média de renda e de público no Brasileiro deste ano. 

2) Maratona de 18 jogos em sequência, sem descanso!


O Corinthians vem de uma maratona de partidas, que incluem jogos por três campeonatos bastante difíceis, que são o Brasileiro, a Libertadores e a Copa do Brasil, entre os quais não tivemos nenhuma semana livre para treinos. 

Desde a partida contra o Fluminense, disputada no dia 15/04/2018, que o Corinthians não teve uma semana livre sequer para treinar, alternando jogos no meio e no final de semana. No total, foram 11 partidas disputadas entre 29 de Abril e 03 de Junho (contra o Flamengo, no RJ). 

E essa maratona de jogos ainda não terminou. Ela irá durar até 13 de Junho, quando jogará contra o Bahia, em Salvador. Até lá o Corinthians enfrentará o Santos (06/06/2018) e o Vitória (09/06/2018), ambas na Arena.

Assim, irão se completar 14 partidas entre 29/04 e 13/06, sem que o Corinthians tenha uma semana sequer livre para treinamento. 

Quem diz que isso não prejudica o rendimento de um time é alguém que, também, não entende 'lhufas' sobre Futebol. Tal pessoa deveria esquecer do Futebol e se concentrar em outros esportes, como a peteca, por exemplo. 

Caso o Corinthians não tivesse problemas com desfalques de jogadores, o time ainda poderia suportar tamanho desgaste, com os treinadores (Carille e Loss) aproveitando o elenco disponível, fazendo um rodízio entre os mesmos. 
Jogadores do Corinthians antes de iniciar a partida contra o Ceará. Nesta partida o Corinthians jogou com muitos reservas e atuou muito mal. Desfalques por desgaste físico e contusões foram motivos para tantas ausências, o que se refletiu na má atuação do time.

Mas foi justamente nesse período que jogadores importantes se lesionaram, sendo que três deles somente irá retornar aos gramados após a Copa do Mundo (Ralf, Renê Jr, Clayson). Aliás, agora foi a vez de Jadson se lesionar, sendo que ele também irá voltar a jogar apenas depois da Copa do Mundo. 


Outros jogadores tiveram que ser poupados devido ao desgaste excessivo, o que levou o Corinthians a jogar várias partidas com desfalques ainda maiores, tal como aconteceu contra o Ceará. 

Além disso, não são apenas os jogos que desgastam os jogadores, mas as viagens constantes. É um verdadeiro entra e sai de hotéis e aeroportos que é muito cansativo. 

Quem diz que os jogadores tem que aguentar essa maratona não entende porcaria nenhuma de esporte de alto rendimento, como é o futebol profissional, onde é necessário existir um tempo de recuperação entre uma partida e outra. Isso é fundamental para que os jogadores não venham a sofrer contusões. 

Não foi à toa que vários jogadores do Corinthians já sofreram com lesões musculares nestes primeiros meses (Jadson, Danilo, Romero, Marquinhos Gabriel). 

3) Problemas se acumulam e geram queda de rendimento: Mudanças no esquema tático, a falta de um '9', desfalques em excesso e falta de tempo para treinar! 


Desde o final de Abril, como já vimos, que o Corinthians não tem uma semana livre para treinar. 

E isso é fundamental para um time que foi obrigado a mudar o seu esquema tático após a saída do Jô, que era uma referência para o time e que teve uma grande importância na maneira de jogar do Corinthians em 2017. Jô não apenas fazia gols mas também participava da criação de jogadas e da marcação.

Todos (comentaristas, torcedores) comentavam que era necessário que o Corinthians contratasse um novo '9' para 2018. 

Como todos sabem, o Corinthians não conseguiu encontrar esse 'nove' tão cedo. A solução adotada por Carille foi mudar o esquema tático do time, do 4-2-3-1 de 2017 para o 4-2-4 de 2018.
Estive presente na estréia do Corinthians no Brasileiro, quando o Timão derrotou o bom time do Fluminense por 2 X 1.

Apesar desse esquema ter permitido a conquista do Campeonato Paulista de 2018, derrotando o Palmeiras na final, ele nunca fez com que o Corinthians voltasse a jogar um futebol tão forte e competitivo quando aquele que vimos no Paulista e no Brasileiro de 2017 (principalmente no primeiro turno deste, no qual o Corinthians terminou invicto).


Essa mistura de desfalques e um esquema tático que ainda precisa de aperfeiçoamentos fez com que o Corinthians chegasse até a perder 3 jogos na fase final do Paulista deste ano (para o Bragantino, São Paulo e Palmeiras), algo que não aconteceu em 2017. 

Então, é mais do que evidente que Carille já deveria estar pensando em ou mudar o esquema tático, voltando para o 4-2-3-1 de 2017, ou em ajustar o 4-2-4 quando chegasse o período de Copa do Mundo, procurando corrigir as deficiências do mesmo. 

Somente agora, com a chegada de Roger, que o Timão voltou a ter um '9', o que permite a volta do já consagrado esquema 4-2-3-1 de 2017, que foi muito bem sucedido. 

Aquele esquema deu tão certo que quando o Brasileiro do ano passado começou o time já estava perfeitamente ajustado e entrosado, o que levou ao primeiro turno mais sensacional de um clube brasileiro desde que a disputa em turno e returno foi adotada, em 2003, com o Timão terminando o primeiro turno invicto.

Mas a chegada de Roger, neste ano, coincidiu com a maratona de jogos (14), sem pausa para treinar, o que impossibilitou a realização de treinos específicos para que o novo '9' pudesse se entrosar com o time. E isso aconteceu com o time jogando num esquema que ainda não está perfeitamente ajustado (apesar da conquista do Paulista) e com os inúmeros desfalques, já citados, prejudicando bastante o Timão. 

Com isso, Roger foi colocado para jogar sem que uma preparação adequada tivesse sido realizada para a sua entrada no time. E é claro que, em função disso, seu desempenho está abaixo do que se esperava. 
Corinthians 1 X 0 Palmeiras, pelo Brasileiro deste ano. Das últimas 7 partidas contra o rival o Corinthians venceu seis, incluindo a segunda partida decisiva do Paulista, na Arena do Palmeiras. 

4) Esqueçam 2017! Ano passado foi um ponto fora da curva!


Esqueçam 2017: Sabe essa história do Corinthians ficar invicto por 34 jogos e sem perder nenhum jogo no primeiro turno do Brasileiro? Pois saibam que não iremos ver isso tão cedo novamente, não!

E não falo isso somente do Corinthians, mas de qualquer outro clube brasileiro. 

Duvido que isso vá acontecer tão cedo no Brasil novamente. Não vai. 

Até porque, em 2017 ninguém esperava nada de Fábio Carille e tampouco do elenco que foi montado para os campeonatos daquele ano. Não havia expectativa alguma quando a eles. E ambos surpreenderam, Carille e jogadores. 

Fábio Carille provou ser um excelente treinador, mas demorou bem mais do que 4 partidas para que os torcedores e, mais ainda, os comentaristas esportivos pudessem chegar a essa conclusão.

Além disso, o elenco corintiano, se superou, jogando com garra, vontade, determinação, deixando a alma dentro de campo, o que somado à excelente organização tática do time, foi fundamental para a conquista do Paulista e do Brasileiro de 2017. Isso foi conquistado mesmo sem ter craques no time, mas tínhamos bons jogadores que se superavam dentro de campo. Os jogadores cumpriam fielmente as determinações de Carille e da comissão técnica. Era um elenco que dava o sangue pelo time. 

E afirmo isso com total conhecimento de causa, pois assisti a todos os jogos do Corinthians na Arena, em 2017, pelo Campeonato Brasileiro, Copa do Brasil e Sul-Americana. O time de 2017 tinha alma de campeão, algo que percebi logo que fui assistir ao jogo contra o Santos, pelo Paulista, quando o Timão venceu por 1 X 0, no dia 04 de Março, com gol de Jô, em partida que contou com a presença de Tite. 

Os próprios adversários foram pegos de surpresa com aquele Corinthians avassalador do primeiro turno do Brasileiro. E quando eles acordaram para o que estava acontecendo, já era tarde demais, pois o Timão embalou e foi somando os pontos necessários para ser o Campeão.
Corinthians 2 X 1 Fluminense, na Arena, foi a estréia vitoriosa do Timão no Brasileiro deste ano. Desde essa partida, que foi disputada no dia 15/04/2018, que o Corinthians não teve uma semana livre sequer para treinar, disputando 18 partidas consecutivas. 

E quando esteve perto de ser ameaçado de perder o título do campeonato, antes da partida contra o Palmeiras, o time soube reagir e iniciou uma sequência de 4 vitórias (Palmeiras, Atlético-PR, Avaí e Fluminense) que levou o Timão à conquista do HeptaC
ampeonato (sem fax). 

Mas essa surpresa não existe mais. Afinal, como o Corinthians vem de uma temporada vitoriosa e acabou de conquistar o Paulista, os adversários sabem que irão enfrentar um time forte e competitivo pela frente e já se preparam tendo essa ideia em mente. 

Além disso, o Corinthians de 2017, quando começou a disputa do Brasileiro, já tinha uma filosofia de jogo pronta (que o próprio Carille definiu ainda antes da temporada começar, como ele mesmo declarou), possuía um time titular montado e um esquema tático definido, sendo que todos estes elementos deram ótimos resultados. 

Também não se pode esquecer que não havia problemas com jogadores afastados em função de lesões. Assim, Carille podia usar sempre a força máxima em praticamente todos os jogos. E quando havia ausências, elas eram em número reduzido.

Assim, sem desfalques (ou com poucos...), a escolha de um filosofia de jogo que funcionou muito bem, o time e o esquema do Paulista puderam ser mantidos nas primeiras rodadas do Brasileiro, com raríssimas alterações, o que levou o Corinthians a dar uma arrancada inicial e a embalar no primeiro turno, quando terminou invicto. 

Em 2018, não temos nada disso. 

O elemento surpresa não existe mais e a definição do esquema tático e do time titular foram prejudicados em função de todos os problemas que já citei: demorar para a contratação de um '9', excesso de desfalques (titulares e reservas), esquema tático com problemas, sem estar ajustado. 

E os outros times também procuraram se reforçar para essa temporada. Isso vale para Flamengo, Atlético-MG, Palmeiras, São Paulo, Cruzeiro, Grêmio.

Então, é mais do que previsível que o Brasileiro deste ano será (já está sendo) muito mais difícil e equilibrado do que o de 2017, quando a arrancada e disparada do Corinthians no primeiro turno deixou todos os adversários desnorteados. 

Desta maneira, a queda de rendimento do Corinthians foi inevitável neste ano, ainda mais se fizermos uma comparação com a temporada fora da curva que foi a de 2017 (até o final do primeiro turno do Brasileiro, pelo menos).
Imagem da partida contra o Vitória, pela Copa do Brasil, que foi vencida pelo Corinthians por 3 X 1. Na próxima fase do torneio o Timão irá enfrentar o perigoso time da Chapecoense.

Em 2018, o Corinthians oscila muito mais do que em 2017, alternando partidas muito boas (exemplos: contra o Palmeiras, tanto no Paulista, quanto no primeiro turno do Brasileiro), com outras muito fracas (exemplos: contra o Bragantino, pelo Paulista, quando perdeu de 3X2, e contra o Ceará, no Brasileiro, quando empatou em 1X1). 


E é bom ressaltar que essa queda de rendimento e essa oscilação ocorreu ainda sob o comando de Carille. 

Para confirmar isso, basta ver que o Corinthians perdeu muito mais jogos no Paulista de 2018 do que no de 2017. No ano passado foram apenas duas derrotas durante todo o campeonato Paulista, sendo que uma delas se deu em função de um gol irregular sofrido pelo Timão (1X0 para a Ferroviária), enquanto que em 2018 foram seis derrotas, sendo que 3 ocorreram na fase final, como já afirmei.

5) Como o time vai melhorar, se não tem tempo para treinar?

Qualquer pessoa que conhece um pouco de futebol sabe que os treinos são fundamentais para a evolução de qualquer time, ainda mais em um país no qual não temos, de fato, uma pré-temporada. O que se chama de pré-temporada aqui dura 2 ou 3 semanas, no máximo, enquanto que na Europa esse período de preparação vai de 45 a 60 dias.

É nos treinos que o time acerta posicionamentos, ensaia jogadas, pode usar um esquema tático diferente, bem como fazer testes com jogadores atuando fora de sua posição de origem. 

E o Corinthians não teve tempo de fazer nada disso desde o final de Abril, período no qual o time também sofreu com a saída de Fábio Carille, um treinador que ganhou a total confiança da torcida, da diretoria do clube e dos jogadores depois de conquistar um campeonato Brasileiro e dois Paulistas em menos de 18 meses de trabalho. 

E Osmar Loss assumiu justamente com o time repleto de desfalques, no meio dessa maratona de jogos, o que não permitiu que ele fizesse qualquer treino até agora. O que fez, até o momento, foram os chamados treinos leves, movimentações de véspera de jogos, mas nos quais não é possível treinar de fato. 

Desta maneira, sem treinar torna-se literalmente impossível melhorar o rendimento do time. 

Loss somente terá tempo de treinar o time durante a realização da Copa do Mundo. 
Corinthians X Millonarios. Apesar de ter jogado de forma muito ofensiva, o Timão perdeu por 1 X 0 para o bom time colombiano, na estréia de Osmar Loss. O placar final foi injusto, pois o Corinthians jogou bem e ainda teve um gol mal anulado pelo árbitro.

Enquanto essa época não chegar, mal se pode dizer que ele começou o seu trabalho à frente do Corinthians. 


Depois desse período, sim, é que será possível avaliar melhor o seu trabalho como o novo treinador do Timão.

Então, se os corintianos tiveram paciência com Fábio Carille, porque não podem fazer o mesmo com Osmar Loss?  

6) Derrotas!

Alguns torcedores reclamam que em 2018 o Corinthians está perdendo muito mais partidas do que em 2017, o que é verdade. Mas como já chamei a atenção, isso já estava acontecendo no Paulista, sob o comando de Fábio Carille. 

Isso não começou com Osmar Loss, portanto.

Assim, responsabilizar Loss pelo fato do número de derrotas ter aumentado em 2018 é uma tremenda injustiça, além de ser uma clara demonstração de ignorância, pois não foi sob o comando de Loss que isso começou a acontecer. Aliás, isso começou já no segundo turno do Brasileiro de 2017, quando o Corinthians sofreu 8 derrotas.

Assim, a queda de rendimento do Corinthians aconteceu já sob o comando de Carille, que também não pode ser responsabilizado por isso. Afinal, ele não foi o responsável pelas saídas de Pablo, Guilherme Arana e Jô do Timão, e muito menos pela demora em contratar um substituto para o goleador do Timão em 2017, demora esta que se deve às dificuldades financeiras do clube, que não possui uma empresa do setor financeiro para sair contrato jogadores milionários e em grande número. 

Carille e Loss também não foram responsáveis pelas convocações de Cássio e Fagner para disputar jogos pela Seleção e a Copa do Mundo, nem pelas lesões que afetaram um grande número de jogadores do Timão, que virou um verdadeiro hospital nos últimos meses. 
Jogadores reservas do Corinthians no aquecimento, antes de começar a partida contra o Millonarios, pela Libertadores. Este é um dos raros momentos em que eles tocam na bola, pois o excesso de jogos não permite que possam treinar. 

Os dois treinadores também não são os responsáveis pelo calendário maluco que temos no Brasil e na América do Sul, que gera um desgaste imenso dos jogadores, provocando muitas lesões, principalmente musculares. Eles não são os responsáveis pelo fato do Brasil não possuir uma pré-temporada digna de nome. 


Aliás, somente agora, no meio do ano, é que teremos uma pré-temporada. O Brasil deve ser o único país do mundo no qual a pré-temporada ocorre no meio da mesma e somente em anos que temos Copa do Mundo. 

Portanto, cabe aos torcedores corintianos manter a cabeça fria e apoiar o novo treinador Osmar Loss, que é um profissional sério, competente e que tem um grande potencial. 

Depois da Copa do Mundo, durante a qual Loss terá tempo disponível para treinamento, e com o retorno dos inúmeros jogadores que estão desfalcando o time neste momento, será possível avaliar melhor o seu trabalho.

Até lá, o mais importante, é manter o Corinthians entre os primeiros colocados, embolados com os outros clubes de melhor campanha. 

Assim, reforçado e melhor entrosado, o Corinthians poderá lutar novamente pela conquista de pelo menos um dos campeonatos que disputa neste ano: Copa do Brasil, Brasileiro e Libertadores.

Avante, Loss!

Vai, Corinthians!