Time GRANDE!

Como você sabe que um time é Grande, mas GRANDE, mesmo? Quando os torcedores de TODOS os outros times torcem contra ele, oras!

Do proprietário deste blog, Marcos Doniseti.

domingo, 23 de abril de 2017

Por que o Corinthians chegou à final do Campeonato Paulista e o Palmeiras não? - Marcos Doniseti!

Por que o Corinthians chegou à final do Campeonato Paulista e o Palmeiras não? - Marcos Doniseti!
Fábio Carille teve um excelente Mestre: Tite, é claro. 
Em teoria, o São Paulo era um adversário mais difícil para o Corinthians do que era a Ponte Preta para o Palmeiras. 

Assim, era mais provável que o Palmeiras chegasse à final do Campeonato Paulista e que o Corinthians, que é um time ainda em formação e que conta com um treinador (Fábio Carille, sério e correto) em início de carreira, fosse eliminado pelo São Paulo. 

Pelo menos a chance de eliminação do Corinthians era, teoricamente, maior do que a do Palmeiras. Quanto à isso, penso que restam poucas dúvidas.

O Corinthians enfrentava um rival tradicional, o SPFC, enquanto que o Palmeiras jogava contra um time tradicional, mas que não está sempre decidindo títulos importantes e que ainda corre atrás de um título de expressão na Primeira Divisão, que é a Ponte Preta. 

Obs: É bom esclarecer que considero que o time da Ponte Preta é muito bom, sendo muito bem organizado taticamente e possuindo bons valores individuais. O clube de Campinas também tem um bom e experiente treinador, que é o Gilson Kleina. O Corinthians poderá até ser Campeão Paulista, mas terá que jogar muito bem nas duas partidas contra o bom time campineiro, que chegou à decisão após eliminar Santos e Palmeiras. E nenhum time consegue fazer isso se não tiver méritos. E a Ponte Preta os tem, sem dúvida alguma. 

No entanto, o Corinthians chegou à decisão do Paulista, enquanto que o Palmeiras não conseguiu.

Por que isso aconteceu? Por vários motivos. 

Entendo que um dos fatores principais para que isso tenha acontecido é que o Corinthians fez um planejamento muito melhor do que o do Palmeiras para essa temporada, mesmo tendo investido muito menos dinheiro do que o rival. 

O Palmeiras/Crefisa se preocupou em contratar jogadores caros, de grande apelo junto à torcida e a mídia esportiva (Guerra, Borja, Felipe Mello, Michel Bastos), e que ganham salários altíssimos, mas fez isso sem consultar a sua comissão técnica para saber se eles eram, realmente, os jogadores dos quais a equipe precisava para suprir as suas deficiências. 

Com isso, chegaram jogadores para posições nas quais o Palmeiras já tinha bons jogadores (caso do ataque) e não vieram para as posições mais carentes do time (caso da lateral esquerda). O planejamento do Palmeiras, se é que houve algum, foi muito mal feito, portanto. 

Já o Corinthians, cuja diretoria cometeu inúmeros erros em 2016 (vender o Bruno Henrique e deixando-o sair no meio do Campeonato Brasileiro foi um dos mais graves), fez um planejamento realista e pé-no-chão para a temporada deste ano. 

Até porque não havia dinheiro em abundância para sair contratando, o Timão se preocupou em trazer jogadores não muito badalados, mas que viessem para suprir as deficiências do time, e fez isso sem gastar quase nada.

Assim, Gabriel assumiu a função que era de Bruno Henrique, e para a qual não houve substituto em 2016. Maycon, jogador revelado pela Base corintiana e que havia feito uma boa temporada pela Ponte Preta no ano passado, retornou para o clube e tem um bom desempenho nesta temporada, atuando junto com Gabriel na marcação do meio-de-campo e na proteção da defesa. 

A defesa corintiana, por sua vez, ganhou o reforço do ótimo zagueiro Pablo, que era um ilustre desconhecido e uma verdadeira incógnita para a torcida corintiana, mas que se transformou em um verdadeiro xerife da defesa, sendo que dificilmente perde uma disputa, seja pelo alto ou por baixo. Seu desempenho é tão bom que a torcida já exige a sua contratação em caráter definitivo. 

Além disso, a chegada de Jadson qualificou a criação do meio-de-campo, onde apenas Rodriguinho se destacou em 2016. E Jô, em quem muitos não acreditavam, está se tornando o 'Rei dos Clássicos', pois marcou 5 gols em 5 jogos contra os principais rivais do Corinthians (foram 3 gols marcados no SPFC, 1 no Palmeiras e 1 no Santos) neste Paulista.  

Com isso, o Corinthians qualificou e melhorou, inegavelmente, o seu elenco, mesmo sem ter gasto muito. Afinal, Jadson, Jô e Gabriel vieram para o Timão quando estavam sem vínculo com qualquer outro clube. 

Portanto, o Corinthians não gastou um centavo sequer para que eles viessem jogar pelo clube. 

Como já afirmei, Maycon já é jogador do Timão, revelado na Base, e retornou de empréstimo, enquanto que Pablo veio emprestado pelo Bordeaux. E o jovem Guilherme Arana, que já era bastante utilizado desde 2015, tornou-se o titular absoluto da lateral-esquerda após a saída de Uendel para o Inter-RS.

Simultaneamente, vieram alguns jogadores para compor elenco (Paulo Roberto, Felipe Bastos, Kazim) e Carille apostou em vários jogadores da Base, que foram utilizados em várias partidas (Léo Jabá, Léo Santos, Pedrinho). 

O grande problema do Corinthians neste ano, no entanto, está sendo a total falta de tempo para treinar. Até agora o Corinthians não teve uma única semana 'cheia', ou seja, inteiramente livre para treinar. As partidas do Corinthians sempre foram disputadas, desde o final de Janeiro, no meio de semana e no final de semana. 

A próxima semana, antes da primeira partida decisiva contra a Ponte Preta (em Campinas), será a primeira na qual Fábio Carille poderá treinar os jogadores durante todos os dias, o que é algo inédito para o Timão em 2017.

É por isso que, até agora, Carille está usando o mesmo esquema tático (4-2-3-1) e está sempre colocando o mesmo time titular para jogar: Cássio, Fagner, Balbuena, Pablo e G. Arana; Gabriel, Maycon; Jadson, Rodriguinho, Romero; Jô. 

Com certeza, os torcedores do Corinthians já decoraram a escalação do time. 

Afinal, fazer isso é a única maneira de tentar entrosar o time, ou seja, fazer com que os mesmos jogadores joguem sempre juntos e sempre no mesmo esquema tático. 

E os bons resultados colhidos pelo Corinthians no Campeonato Paulista e na Sul-Americana (vitória de 2 X 0 sobre a Universidade do Chile) mostram que o trabalho de Carille está no rumo correto. 

A eliminação na Copa do Brasil, para o Inter-RS, se deu em função dos inúmeros gols perdidos pelo time naquela segunda partida (foram cinco) e não porque o trabalho de Carille esteja sendo mal feito. Muito pelo contrário. 

E estes bons resultados fizeram com que os próprios jogadores do Corinthians passassem a acreditar cada vez mais no trabalho sério de Carille, algo que Gabriel disse após o final do primeiro jogo semifinal contra o SPFC. E Jadson afirmou, logo depois desta mesma partida, que o treinador 'tem o grupo na mão'. 

Assim, Carille é respeitado pelo grupo de jogadores. E ele também tem o respaldo da diretoria do clube, que afastou Cristian do elenco quando este criticou o treinador em uma entrevista. 

Desta maneira, Carille pode fazer o seu trabalho sem sofrer maiores pressões, a não ser aquelas da própria Fiel Torcida, que é sempre muito exigente e que deseja sempre ver o Corinthians ser campeão. 

E a chegada à final do Paulista 2017 após vencer três jogos e empatar contra os rivais (São Paulo, Santos e Palmeiras), fazendo com que o Corinthians permaneça invicto em clássicos disputados neste ano, mostra o potencial do time corintiano, que deverá ter mais tempo disponível para treinar após o fim do Campeonato Paulista. 

Afinal, depois que o Campeonato Paulista terminar, o Corinthians irá disputar apenas dois campeonatos simultâneos (Brasileiro e Sul-Americana), enquanto que os seus principais rivais irão disputar três (Brasileiro, Copa do Brasil, Libertadores ou Sul-Americana). Com isso, o Corinthians sofrerá um desgaste menor até o final desta temporada. 

Porém, é bom que se diga que o Corinthians precisa, sim, reforçar o seu elenco e é claro que a diretoria do clube sabe disso. Embora isso não tenha sido anunciado, tudo aponta para que o bom jogador Clayson, da Ponte Preta, possa vir a jogar pelo Timão depois que o Paulista terminar. 

Mesmo que Clayton (que jogou bem contra o Luverdense, mas que caiu de rendimento depois) comece a se destacar e Marquinhos Gabriel (que fez duas boas partidas contra o Inter-RS) e Giovanni Augusto (que entrou jogando bem na primeira partida contra o Inter-RS) se recuperem, seria bom que o Corinthians contratasse mais um goleador (para o caso de quando Jô não tiver condições de jogo), um lateral-direito, um volante de marcação e um zagueiro. 

Afinal, durante o ano o time sofrerá com desfalques em função de jogos da Seleção Brasileira (Fagner sempre é convocado; G.Arana é convocado para a Seleção sub-20) e contusões, suspensões. 

E talvez Carille possa usar, mais vezes, alguns jogadores da Base (Léo Jábá, Marciel, Pedrinho, Carlinhos, Léo Santos) que tiveram pouco espaço neste início de temporada em função da limitação imposta pela FPF para a inscrição de jogadores na competição e porque Carille precisou priorizar o entrosamento do time em função de não ter tido tempo para treinar. 

Assim, com mais alguns reforços, o Timão teria um time mais qualificado e em condições de conquistar mais um título no segundo semestre (do Brasileiro ou da Sul-Americana). 

quinta-feira, 20 de abril de 2017

Corinthians em 2017: Um time em formação! - Marcos Doniseti!

Corinthians em 2017: Um time em formação! - Marcos Doniseti!
Conquista do título do Paulista e de vaga para a Libertadores de 2018 devem ser as prioridades do Corinthians para 2018.
Fui ao jogo ontem na Arena Corinthians, partida na qual o Timão acabou sendo eliminado (injustamente) nos pênaltis pelo Internacional, e quero fazer algumas observações: 

1) Até os sinalizadores da Gaviões da Fiel aparecerem, o Timão dominava o jogo e já ganhava de 1 X 0. 

Daí, o arbitro parou o jogo por 5 minutos, esfriando a partida, até que todos os sinalizadores fossem apagados. Quando a partida foi reiniciada, o Corinthians piorou e o internacional subiu de produção, tomando a iniciativa da partida que, até aquele momento, era do Timão.

Logo, a torcida do Corinthians prejudicou o time, sim, em função de uma iniciativa idiota (acender os sinalizadores, o que é irregular e que poderá resultar na perda de mando de jogos na Arena); 

2) Está mais do que na hora de punir esses burros e trogloditas que acendem sinalizadores durante os jogos e que agem no sentido de prejudicar o clube, que poderá até perder mandos de jogos em função disso. 

A locutora da Arena Corinthians vive dizendo que temos mais de 300 câmeras no local. Então, que as utilizem para identificar os energúmenos que acendem sinalizadores e os proíbam de entrar na Arena por, no mínimo, um ano. 

Assim, eles terão tempo de sobra para pensar na vida e poderão parar de prejudicar o Corinthians; 

3) Quanto ao jogo, o Timão errou na estratégia da partida. 

Depois que fez 1 X 0, logo aos 7 minutos (gol de Maycon), o Corinthians deveria ter sufocado o Inter, para marcar o segundo gol. Não o fez, embora a interrupção provocada pela sinalizadores tenha sido prejudicial. 

Mas o time poderia ter feito isso depois que a partida foi reiniciada e, também, no início do segundo tempo, e não o fez; 

4) Os jogadores do Timão tem que parar de perder tantos gols feitos.  

Mesmo jogando defensivamente, o Corinthians teve dois gols feitos perdidos apenas no primeiro tempo, com Jô e Romero. No segundo tempo, após o empate do Inter, o Timão foi para cima e perdeu mais três gols feitos (Pablo, Rodriguinho e Clayton). 

Falando (ou escrevendo...) claramente: Quem perde cinco gols feitos em um jogo não tem como vencer uma partida, mesmo sendo superior ao adversário; 
Fábio Carille conversa com Marquinhos Gabriel. O jogador do Timão tem entrado nas últimas partidas e está jogando bem. Carille deveria colocá-lo no time titular, por vários jogos seguidos, a fim de que pudesse ganhar ritmo de jogo e adquirisse entrosamento. Sua entrada tornaria o time mais técnico e ofensivo. Romero passaria a ser opção para o segundo tempo, ajudando a fechar os espaços e a puxar os contra-ataques quando o Timão estivesse com uma boa vantagem no placar. 
5) Um time que deixa de marcar cinco 'gols feitos' em um jogo, não perde para o adversário. O Corinthians não perdeu para o Inter ontem. Perdeu para ele mesmo. 

6) O Corinthians precisa contratar, urgentemente, um goleador, alguém que marque muitos gols. Jô sempre faz o seu, mas é pouco, fato que acontece por ele jogar de forma muito isolada no ataque do Timão. 

O Corinthians precisa desse outro goleador, até para deixar os adversários preocupados com o mesmo e não sacrificar tanto o Jô, que está jogando bem. Ele está participando da marcação, ajudando na organização de jogadas de ataque e, ainda, marca os seus gols, principalmente em clássicos; 

7) O esquema tático do time precisa ser mais flexível durante os jogos, modificando-o quando for conveniente, indo além do sistema defensivo e de organização contra-ataques (sendo que a maioria dos mesmos ainda são desperdiçados). 

Assim, o Carille precisa avançar um jogador do meio-de-campo para atuar próximo ao Jô, que fica muito isolado na frente. 

Jô ganha muitas jogadas aéreas, mas quase nunca tem alguém dele próximo para dar continuidade à jogada. Assim, jogar a bola aérea para ele acaba não dando resultado. 

Carille tem que treinar isso, apesar da falta de tempo. Outro dia mesmo, logo após uma partida do Timão, Cássio disse que muitas jogadas do Timão são combinadas por vídeo, devido à falta de tempo para treinar. 

O calendário patético e ridículo do futebol brasileiro gerou uma novidade no mundo do futebol: o treino virtual. 

Assim, quando for lançar a bola aérea para o Jô, Carille deveria orientar o Rodriguinho ou Jadson para ficarem perto dele e preparar os alas (Fagner e Arana) para organizar uma jogada rápida de contra-ataque, que pegue a defesa adversária desorganizada.

Outra possível solução, a fim de tornar o time mais ofensivo, e na qual o Carille já deve estar pensando, é colocar Marquinhos Gabriel no time titular, no lugar de Romero. Nas duas partidas contra o Internacional, M.Gabriel atuou bem, participando da articulação das jogadas de ataque do time, fazendo tabelas e dando bons passes. 

Ele tem, sem dúvida, uma técnica bem mais apurada do que Romero, embora seja bem mais fraco na marcação. Mas isso é algo que poderia ser corrigido com um melhor posicionamento e entrosamento do time. Assim, se M.Gabriel fosse deslocado para jogar mais avançado, próximo ao Jô, isso poderia render boas jogadas de ataque para o Corinthians e mais chances reais de gol seriam criadas pelo Timão;

8) Em termos de disputas de campeonato ao longo de 2017, a eliminação da Copa do Brasil pode ter um lado positivo para o Corinthians, embora ninguém goste de perder, é claro, e a derrota deixe o time um pouco abalado, principalmente os jogadores mais novos, vindos da Base corintiana (G.Arana, Maycon). 

Mas o fato concreto é que nenhum clube brasileiro tem elenco para disputar três campeonatos ao mesmo tempo durante uma única temporada. E se o Corinthians continuasse avançando na  Copa do Brasil, ele a disputaria simultaneamente ao Brasileiro e à Sul-Americana.

No Brasil, até para disputar dois campeonatos simultâneos é muito difícil, pois temos jogos no meio e no final de semana sempre, até porque o Brasil possui muitos times competitivos, em condições de conquistar títulos, o que não acontece nos campeonatos nacionais da Europa, por exemplo. 

Na Alemanha, antes do campeonato começar, todos sabem que o Bayern de Munique será o campeão. Na Itália, acontece o mesmo com a Juventus. Na Espanha, Real Madrid e Barcelona irão disputar o título. O Atlético de Madrid ganha um título do campeonato espanhol a cada 10 anos e olhe lá... 

No Brasil, antes do campeonato Brasileiro começar, temos uns 7 ou 8 times em condições de conquistar o título e é literalmente impossível prever quem será o campeão. 

A sequência absurda de jogos durante o ano não dá tempo para os jogadores se recuperarem e nem para o time treinar e melhorar o seu desempenho. Desde o início de 2017 o Corinthians não teve nenhuma semana cheia de treinos. São jogos no meio e no fim de semana sempre. E isso obriga o treinador do Timão a usar os jogos como se fossem treinos, escalando sempre o mesmo time, para que o mesmo vá se entrosando durante o ano. 

Mas o desgaste de agir dessa maneira é imenso, fazendo com que os jogadores acabem se contundindo com frequência. O fato concreto é que nenhum time aguenta isso por muito tempo. Sem falar que, com um calendário absurdo desses, não há como treinar novas jogadas e entrosar o time. 

Era visível, no jogo contra o Inter, o desgaste de jogadores como o Romero e o 
Rodriguinho, que são jogadores que correm muito durante a partida e que estão sempre jogando, ficando de fora de pouquíssimas partidas.

Assim, Carille precisará usar mais vezes o elenco que tem à sua disposição, colocando os reservas para atuar em um número maior de partidas. Mas isso também prejudica a busca do entrosamento para o time, que não tem tempo disponível para treinar... 

É um círculo vicioso e que é gerado pela péssima organização do futebol brasileiro.

E justamente por isso o Timão precisará contratar mais alguns jogadores, para fortalecer o elenco, principalmente um atacante goleador, um lateral-direito e um zagueiro. 

E toda essa situação fica ainda pior quando se trata, como é o caso do Corinthians, de um time que está em formação e de um treinador que está em início de carreira. 

Boa parte dos atuais jogadores do elenco não jogava no Corinthians em 2016 (Pablo, Gabriel, Maycon, Jadson e Jô, só para citar os titulares). Alguns reservas também são novos no clube (Clayton, Felipe Bastos, Paulo Roberto) e outros são jogadores vindos da Base que subiram para o time profissional há pouco tempo (Léo Jabá, Léo Santos, Pedrinho, Léo Príncipe) e que ainda não estão prontos para assumirem a titularidade. 

Então, trata-se de um novo time, que ainda está em formação e que não possui muito entrosamento. É visível que muitos erros (de passe, principalmente) que o time comete ocorrem por falta deste melhor entrosamento. Mas isso somente será adquirido treinando e jogando. E isso leva tempo, até pelo calendário que não deixa tempo para o time treinar de maneira satisfatória.

Então, ao ficar restrito a disputa de dois campeonatos ao longo de 2017 (Brasileiro e Sul-Americana), isso fará com que o Corinthians tenha mais tempo para treinar e possa melhorar muito ao longo da temporada.

Enquanto isso, outros clubes estarão disputando a Libertadores e ou Sul-Americana, a Copa do Brasil e o Brasileiro e irão sofrer um desgaste maior; 

9) Acredito na seriedade do trabalho do Carille, que mostra que sabe o que quer e é respeitado pelos jogadores e por grande parte da torcida, mas ele ainda precisa ganhar experiência.

A diretoria do clube já dá o respaldo necessário para o trabalho dele (vide o afastamento do Cristian após criticar o Carille publicamente). É necessário que a torcida faça o mesmo;

10) As prioridades do Corinthians em 2017 devem ser, a partir de agora: 

A) Conquistar o Paulista, pois um título elevaria a moral do time e daria mais força e confiança ao Carille; 

B) Conquistar uma vaga na Libertadores para 2018, ficando entre os primeiros colocados do Brasileiro. Se for possível conquistar algum título, ótimo. 

Vai, Corinthians!

quinta-feira, 13 de abril de 2017

Palmeiras e Crefisa criam as novas regras do futebol!!! - Marcos Doniseti!

Palmeiras e Crefisa criam as novas regras do futebol!!! - Marcos Doniseti!
A programação da 'Globo' passou por uma pequena alteração devido aos acréscimos do jogo entre Palmeiras X Penarol. 
1) As partidas do Palmeiras somente serão encerradas quando o time patrocinado pela Crefisa estiver vencendo;

2) Quando o Palmeiras estiver perdendo uma partida, a mesma será prorrogada até que o time da Crefisa esteja ganhando. Daí, quanto isso estiver acontecendo a partida será imediatamente encerrada;

3) Qualquer falta cometida contra jogadores do Palmeiras será marcado pênalti, não importando o local do campo em que a mesma foi feita;

4) Nos ataques do Palmeiras jamais será marcado impedimento;

5) Jogadores do Palmeiras jamais poderão ser advertidos com cartão amarelo ou vermelho;

6) Dudu poderá modificar as decisões dos árbitros que apitarem todos os jogos do Palmeiras. Suas decisões serão soberanas e definitivas. Se o árbitro e os assistentes reclamarem, eles serão expulsos;

7) Qualquer jogador de time adversário do Palmeiras que chutar uma bola na direção do gol do time patrocinado pela Crefisa será imediatamente expulso, para aprender a deixar de ser burro;
O árbitro da partida entre Palmeiras X Penarol parece que não sabe muito sobre Matemática... 
8) Qualquer jogador de time adversário do Palmeiras que fizer um gol no time patrocinado pela Crefisa será imediatamente preso pela PM e será conduzido à delegacia mais próxima a fim de prestar depoimento;

9) Se um time estiver dificultando a partida para o Palmeiras, Dudu irá expulsar imediatamente três jogadores do time adversário, a fim de permitir que o clube patrocinado pela Crefisa possa vencer a partida sem maiores dificuldades;

10) Goleiro de time adversário que defender um chute ou finalização desferido por jogadores do Palmeiras terá as suas mãos decepadas, sendo que o mesmo não poderá ser substituído;

11) Corinthians, Santos e São Paulo estão proibidos de derrotar o Palmeiras. Se tais clubes insistirem na prática desse crime hediondo, seus dirigentes, membros da comissão técnica e jogadores serão imediatamente presos;

12) Revogam-se todas as disposições em contrário.

domingo, 12 de março de 2017

Corinthians usa time misto e empata contra bom time da Ponte Preta em Campinas! - Marcos Doniseti!

Corinthians usa time misto e empata contra bom time da Ponte Preta em Campinas! - Marcos Doniseti!

No fim das contas o Corinthians empatou fora de casa jogando contra a Ponte Preta, que é o melhor time do interior (ao lado do Mirassol), mesmo usando um time misto que, é claro, não tem o entrosamento adequado, para dizer o mínimo. 

Os onze titulares que Carille escalou nunca tinham jogado juntos anteriormente: Cássio, Léo Príncipe, Balbuena (Léo Santos), Pedro H., G. Arana; P.Roberto, Maycon, Rodriguinho, Jadson (Marlone), Léo Jabá (Kazim) e Jô.

O resultado da partida foi bom para o Corinthians. 

Algumas observações sobre a partida: 

1) Jadson ainda não tem o preparo físico, o ritmo de jogo e nem o entrosamento necessário com o time. Mas ele somente irá adquirir isso se jogar com frequência. É claro que nos primeiros jogos ele não terá um desempenho muito bom, embora sempre jogue com muita vontade. 

Mas até lá os corintianos terão que ter paciência com ele. Porém, o Carille demorou para tirá-lo do jogo, pois ele cansou no segundo tempo e passou a andar em campo; 

2) A Ponte Preta só marcou gol porque o Cássio falhou. A bola passou por baixo dele e era perfeitamente defensável. Em compensação ele fez outras boas defesas durante a partida, sendo importante para segurar o empate; 

3) Marlone jogou por pouco tempo, mas mostra que tem qualidade para conquistar uma vaga no time titular. A questão é quem sairia para dar lugar a ele. Provavelmente seria o Romero, mas Carille visivelmente gosta do esforço incansável do jogador paraguaio. Mas quando ele quiser um jogador de melhor nível técnico ele deveria optar por Marlone;

Daí o time titular do Corinthians seria: Cássio, Fagner, Balbuena, Pablo, G.Arana; Gabriel, Maycon, Jadson, Rodriguinho, Romero (Marlone); Jô. 

Reservas: Matheus V./Caíque; Léo Príncipe, Pedro Henrique, Léo Santos, Moisés; Marciel, Camacho, G.Augusto, Marquinhos G., Guilherme, Pedrinho, Carlinhos, Léo Jabá;

4) Em vez de Paulo Roberto, Carille deveria ter colocado o Marciel ou o Camacho no time titular, que são melhores tecnicamente do que o volante que veio do Sport; 

5) No final do jogo, o Corinthians tinha Léo Príncipe, Léo Santos, Pedro Henrique, Guilherme Arana e Maycon em campo. 

Se levarmos em consideração que Jô também foi revelado pelo Timão, então tínhamos 6 jogadores que vieram da Base do Corinthians. Léo Jabá começou no time titular e saiu para a entrada de Kazim. Assim, no total, o Corinthians usou 7 jogadores que vieram da Base nesta partida contra a Ponte Preta;

6) É evidente que o Timão sentiu, mesmo com Carille usando um time misto, o desgaste de tantos jogos na sequência, sendo que foram dois clássicos (Palmeiras e Santos). Os jogadores não estão tendo tempo suficiente para se recuperar do desgaste que sofrem durante a partida. Um sinal claro disso foi  a contusão muscular que o Balbuena sofreu. 

Mas é importante o fato de que, mesmo assim, o Corinthians está conquistando resultados muito bons, sendo que lidera o Paulista na classificação geral (tem 19 pontos, conquistador com 6V, 1E e 1D) e está com a vaga quase garantida para a próxima fase da Copa do Brasil.

Os próximos jogos do Timão serão contra a Luverdense (Copa do Brasil, quinta-feira, às 19:30hs e Ferroviária, Domingo, às 16hs).

Danilo: Futuro treinador do Corinthians? - Marcos Doniseti!

Alguns torcedores do Corinthians falam que gostariam de ver Danilo como um futuro treinador do Timão.

Danilo seria uma ótima opção, mas antes seria necessário saber se ele tem a intenção de seguir a carreira de treinador.

Caso isso aconteça, ele deveria ir para a Europa, para fazer cursos e acompanhar o trabalho de treinadores consagrados (Guardiola, Mourinho, Ancelotti), bem como aprender sobre a organização dos principais clubes (Barcelona, Real Madrid, M.City).

Daí, ele retornaria e assumiria o comando da categoria de Base do Corinthians (treinando o Sub-20, por exemplo). E depois de alguns anos de experiência, sendo bem sucedido, ele poderia vir a ser um futuro treinador do time profissional do Timão.

Se ele não tiver uma boa preparação para se tornar treinador, ele poderá ter o mesmo destino do Ceni, que não entende coisa alguma de treinar um time e, mesmo assim, virou treinador do São Paulo.

domingo, 5 de março de 2017

Corinthians 1 X 0 Santos!: A 'quarta força' do Paulista vence mais um clássico e anima a Fiel Torcida! - Marcos Doniseti!

Corinthians 1 X 0 Santos!: A 'quarta força' do Paulista vence mais um clássico e anima a Fiel Torcida! - Marcos Doniseti!
O Mestre Tite e o seu fie discípulo, que está fazendo um ótimo trabalho no Corinthians em 2017.  

Fui à Arena ontem para assistir Corinthians 1 X 0 Santos e observei algumas coisas interessantes: 


1) O Mestre Tite, eterno ídolo do Corinthians, foi ovacionado pela Fiel Torcida quando a sua imagem apareceu nos telões, durante o intervalo. Ele estava visivelmente emocionado com a recepção da torcida;

2) O Santos fez inúmeras faltas, durante toda a partida, que matavam o contra-ataque do Corinthians logo no início. E o árbitro não deu um cartão amarelo sequer em função disso. Os comentaristas esportivos não falaram nada a respeito;

3) O Santos abusou de fazer 'cera' no 1o. Tempo e o árbitro foi conivente com isso. Ele sequer deu os acréscimos necessários para compensar;

4) O árbitro também deveria ter marcado pênalti e expulsado o goleiro santista, que chutou o Kazim por trás, dentro da área do Santos, mas ele aplicou apenas o cartão amarelo;

5) Parece que, neste Paulista, se quiser ser Campeão, o Corinthians terá que derrotar os adversários e a arbitragem ao mesmo tempo;

6) Cássio praticamente assistiu ao jogo e deveria pagar ingresso, pois o sólido sistema defensivo do Timão não permitiu que o Santos criasse qualquer chance real de gol;

7) Jadson errou alguns passes no início do jogo, fruto de desentrosamento, mas não demorou e mostrou qualidade técnica (bom domínio de bola, bons passes e lançamentos) e ainda deu carrinho, correu, marcou, foi incansável. Ele ainda jogou os 90 minutos, mesmo sem ter ritmo de jogo. Não é à toa que é ídolo da Fiel Torcida; 

8) Em pelo menos dois lances de faltas duras (cotovelada no Romero e 'solada' no Fagner) cometidas por jogadores do Santos o árbitro marcou as faltas, mas não deu nem cartão amarelo. Ele preferia conversar. Provavelmente ele não sabe que o cartão amarelo foi criado justamente para o árbitro não precisasse conversar com os jogadores, pois ele é um cartão de advertência;

9) Guilherme Arana está em grande fase, mas precisa se cuidar das jogadas de ataque que ocorrem pela ponta. Ele só vai marcar o adversário depois que a bola é lançada para o atacante. Carille precisa corrigir isso;

10) Grito de guerra da torcida do Timão: 'Santos é o cara*&#, lugar de peixe é dentro do aquário';

11) Para um time que era considerado como sendo a 'quarta força' do Paulista 2017, o Corinthians vai muito bem, sendo que já derrotou, neste Paulista, o Campeão e o Vice do Brasileiro de 2016;

12) Fábio Carille tem a mesma filosofia de trabalho e de jogo do mestre Tite. Ele também mostra possuir um grande potencial e tem tudo para ser bem sucedido no comando do Timão; 

13) Mesmo com o preço médio do ingresso em R$ 55, a Fiel Torcida compareceu em ótimo número, com o público  pagante superando 36 mil pessoas (renda de R$ 1.991.000). Isso mostra que a Fiel Torcida está junto com o Timão novamente;

14) Fábio Carille escalou o time da forma correta e, depois, também fez as substituições certas durante o jogo. Carille mostra que tem um grande futuro como treinador do Timão;

15) O Corinthians criou boas chances para marcar no 1o. tempo, que dominou totalmente, mas não soube aproveitá-las. O Santos jogava pelo empate e sem atacar, o que fez apenas no 2o. tempo, pois tomou o gol logo no início do mesmo; 

16) O Corinthians poderá até não ganhar nenhum título durante 2017 (o que considero improvável), mas será um time muito difícil de ser derrotado se continuar jogando com a mesma determinação que mostra neste início de ano. A tendência é o entrosamento do time ir melhorando durante o ano.

17) Vai Corinthians!

sábado, 20 de agosto de 2016

Futebol Olimpíco - Brasil é Ouro! Futebol brasileiro pode voltar a ser respeitado novamente! - Marcos Doniseti!

Futebol Olimpíco - Brasil é Ouro! Futebol brasileiro pode voltar a ser respeitado novamente! - Marcos Doniseti!
Neymar, na partida contra a África do Sul. Ele é o principal jogador brasileiro da atualidade, mas o Brasil tem uma boa geração de jogadores que, sendo bem treinada por Tite, poderá fazer com que o futebol brasileiro volte a ser respeitado novamente. 
O Brasil ganhou a medalha de Ouro no Futebol masculino nas Olimpíadas do Rio de Janeiro, o que foi uma conquista inédita, derrotando a Alemanha na cobrança de pênaltis (5 X 4, após empate de 1 X 1 no tempo normal e na prorrogação). O gol brasileiro foi feito em uma bela cobrança de falta de Neymar, que cobrou o pênalti decisivo, após Weverton defender a última cobrança alemã. 

Outro dia eu postei aqui um texto no qual eu disse que temos uma geração de bons jogadores, mas que precisamos de um grau mínimo de profissionalismo, organização e competência para voltar a conquistar títulos.

Essa conquista comprova a boa qualidade dessa geração de jogadores do Brasil, como Marquinhos e Rodrigo Caio, uma boa dupla de zagueiros, Zeca (bom lateral direito) atacantes muito bons (Luan, Gabriel Jesus, Gabigol), bons volantes (Walace e Renato Augusto) e um craque (Neymar).

Dessa Seleção olimpíca poderão sair muitos jogadores que serão convocados por Tite para a Seleção Brasileira principal. 

E olha que alguns outros bons jogadores ficaram de fora das Olimpíadas, devido à limitação de jogadores acima de 23 anos, porque o clube vetou a liberação ou por contusão, como são os casos de Danilo, Douglas Costa, Philipe Coutinho, Casemiro e William.

Agora, com a ascensão de Tite ao cargo de técnico da Seleção Brasileira principal do Brasil temos um treinador de verdade, o que não acontecia já há muito tempo.

Tite, no entanto, precisará de tempo para organizar taticamente e entrosar a Seleção.

Além disso, Tite terá que mostrar resultados positivos logo no começo das Eliminatórias, pois hoje o Brasil estaria eliminado da Copa, já que é apenas o 6o. colocado nas mesmas, o que é fruto do trabalho medíocre feito pelo arrogante e inepto Dunga.

E o mais incrível é que o Brasil, com toda a desorganização, incompetência e maracutaia de muitos dos seus dirigentes ainda revele tantos talentos e que são contratados pelos maiores clubes de futebol do mundo.

O talento dos jogadores precisa, no entanto, de um mínimo de profissionalismo, organização e de pessoas capacitadas no comando do futebol para que novos títulos possam vir a ser conquistados. 

Com isso, o Brasil voltará a ser respeitado no futebol mundial, pois 'pé-de-obra' qualificada nós temos mais do que a quase totalidade dos países do mundo. Quantos países do mundo revelam tantos bons jogadores quanto o Brasil no futebol? Que eu saiba, nenhum. 

A Mídia, na hora da conquista de algum título, sempre gosta de dizer que um determinado jogador ou atleta conquistou tudo sozinho. Nada mais falso, a não ser que seja o caso de um esporte individual. Em esportes coletivos isso não acontece jamais. 

Quem decidiu a conquista desta Ri 2016 foram todos, incluindo preparadores físicos, nutricionistas, massagistas. No futebol hiper-profissional e altamente competitivo que temos no mundo atualmente o menor detalhe pode fazer, e faz, a diferença. 

Temos um grande número de Seleções competitivas no futebol internacional atualmente. 

Basta ver o que aconteceu na Eurocopa deste ano, que foi conquistada pela Seleção de Portugal, que começou jogando muito mal a competição, mas que foi subindo de produção ao longo da mesma e fez por merecer a conquista, também inédita para o futebol português. E no entanto a seleção portuguesa não teve nenhum jogo fácil na competição. Todos os jogos foram difíceis e equilibrados. E faltou pouco para ela ser eliminada logo na primeira fase. 

E a conquista de Portugal se deu, inclusive, com a ausência de seu principal jogador, Cristiano Ronaldo, na maior parte do jogo decisivo, no qual Portugal derrotou a França por 1 X 0. 

Isso mostra que Futebol é esporte coletivo, detalhe fundamental que muitos esquecem no momento de se analisar as razões para uma conquista. 

Nenhum jogador decide tudo sozinho. 

Até Pelé só ganhou tantos títulos porque jogou ao lado de inúmeros craques, tanto no Santos, quanto na Seleção Brasileira. Peguem a escalação do Brasil que ganhou as Copas de 58, 62 e 70. Só tinha fera. 

A imprensa esportiva internacional elegeu Didi como o melhor jogador da Copa de 58. Não foi Pelé e nem Garrincha, mas Didi o escolhido como o melhor jogador da Copa de 58. 

E quem já viu VT de algum jogo daquela Seleção na Copa de 58 sabe que isso foi justo, porque Didi era o cérebro do time. Todas as jogadas de ataque do Brasil eram organizadas por ele. Mas ele estava acompanhado da maior legião de craques que uma Seleção Nacional já reuniu na história das Copas do Mundo. Nem a Seleção de 1970 tinha tantos craques quanto a de 1958. 

Para se ter uma ideia do nível do futebol brasileiro daquela época, basta dizer que Garrincha era o terceiro na lista de convocados. À frente dele, na lista, estavam Julinho Botelho (da Fiorentina) e Joel (do Flamengo). Mas Julinho recusou a convocação e, com isso, Garrincha foi disputar a sua primeira Copa do Mundo, na qual se tornou titular apenas na terceira, e decisiva, partida, contra a URSS, que o Brasil venceu por 2 X 0. 

Assim, de nada adianta ter um craque no time se os outros 10 forem jogadores medíocres. E não tivemos nenhum perna-de-pau nesta seleção olimpíca. Esta Seleção foi prejudicada na sua preparação porque foi montada, literalmente, em cima da hora. Não tivemos nenhuma Seleção Olimpíca nos últimos quatro anos. Ela foi montada agora, às vesperas da competição. E mesmo assim foi a Campeã, de forma merecida. 

Assim, temos uma geração de bons jogadores que, se forem bem treinados, poderão voltar a conquistar novos títulos para o Brasil, apesar da CBF e da Globo. 

Essa conquista do Ouro na Olimpíada é a prova disso.

Valeu pelo Ouro, Brasil!!!

sábado, 13 de agosto de 2016

O Mundial de Clubes do Corinthians do ano 2000 e a Taça Rio de 1951! - Marcos Doniseti!

O Mundial de Clubes do Corinthians do ano 2000 e a Taça Rio de 1951! - Marcos Doniseti!
O primeiro Mundial de Clubes que foi organizado pela FIFA e que contou com representantes de todas as Confederações do planeta foi o do ano 2000, que foi vencido pelo Corinthians, que disputou o mesmo como representante do país-sede. Em 2013, o Raja Casablanca também disputou o torneio como representante do país-sede (Marrocos) e chegou à final contra o Bayern de Munique, que acabou sendo o Campeão. Em 2014, o Campeão foi o Real Madrid e em 2015 foi o Barcelona. Sempre temos um representante do país-sede nos torneios que a FIFA organiza e no Mundial de Clubes do ano 2000 isso não foi diferente. 
1) O mais interessante dos palmeirenses é que eles não reconhecem o Mundial de Clubes de 2000 do SC Corinthians Paulista, um torneio que foi organizado pela FIFA e que contou com a participação de representantes de todas as Confederações de futebol, de todos os continentes, mas ao mesmo tempo eles reivindicam um Mundial de Clubes que foi realizado em uma época (1951) em que não existia nem Taça Libertadores e tampouco Mundial de Clubes. 

Nem Freud explica; 

2) A Taça Rio foi um torneio internacional importante? Sim. Mas não era Mundial de Clubes. 

Ele não foi organizado pela FIFA e não tinha representantes do mundo todo, de cada Confederação do planeta, tal como acontece desde que a FIFA passou a organizar o Mundial de Clubes, cuja primeira edição foi a do ano 2000 e que foi conquistado pelo Corinthians; 

3) Enquanto isso, o Corinthians disputou o Mundial de Clubes do ano 2000 representando o país-sede, pois havia sido o Campeão Brasileiro de 1998. O Vasco é que entrou como representante da Conmebol, pois havia sido o Campeão da Libertadores de 1998. 

Se um time argentino (digamos, o Boca Jrs.) tivesse sido o Campeão da Libertadores de 1998, ele disputaria a competição no lugar do Vasco. 
A Taça Rio de 1951 foi um importante torneio internacional de clubes, mas não foi um Mundial, que sequer existia ainda. E a Taça Libertadores (criada em 1960) e a Liga dos Campeões da UEFA (criada em 1955) também não existiam. Mesmo assim, os palmeirenses insistem em dizer que foram campeões mundiais... Vá entender.   
E se outro time tivesse sido o Campeão Brasileiro de 1998 (digamos, o Palmeiras) ele disputaria o torneio no lugar do Corinthians. 

Portanto, o Corinthians disputou o Mundial de Clubes do ano 2000 com base nos critérios técnicos determinados pela FIFA. 

Ele conquistou o Campeonato Brasileiro de 1998 e, com isso, conquistou a vaga destinada ao campeão do país-sede; 

4) Nos torneios organizados pela FIFA sempre temos um representante do país-sede (seja clube ou seleção). Somente notórios desinformados é que não sabem disso. É por isso que países que sediam a Copa do Mundo não precisam disputar as Eliminatórias. Este foi o caso do SC Corinthians Paulista no Mundial de Clubes do ano 2000; 

5) No Mundial de Clubes de 2013 (que foi disputado no Marrocos), por exemplo, o Bayern de Munique derrotou o Raja Casablanca na decisão, time que entrou no torneio representando o país-sede (Marrocos), tal como aconteceu com o SC Corinthians Paulista no Mundial de Clubes do ano 2000. O Campeão africano era o El Ahli, do Egito, e não o Raja Casablanca. 
O Corinthians disputou e venceu a Copa do Atlântico de 1956, torneio internacional de clubes que reuniu as principais equipes do Brasil, Argentina e Uruguai (foram 15 clubes no total). A final foi contra o Boca Jrs. O Timão venceu o primeiro jogo, na Bombonera, por 3 X 2 e, desta maneira, o time argentino recusou-se a vir para o Brasil a fim de disputar as outras duas partidas previstas. Com isso, o Corinthians sagrou-se campeão deste torneio que foi uma espécie de Taça Libertadores da época. 
Então, se o Raja Casablanca tivesse sido Campeão Mundial, o título dele não iria valer? Claro que iria. 

Quando o Mundial de Clubes é disputado no Japão, é o clube que conquistou o Campeonato Japonês que representa o país-sede. 

Se o torneio for disputado na Alemanha, será o campeão alemão. 

E assim sucessivamente. 

Entenderam, agora, ou terei que desenhar? 

6) Então, esse discurso de não reconhecer o Mundial de Clubes do Corinthians do ano 2000 é fruto de desinformação e de um anti-corintianismo patético e ridículo. 

Link:

Corinthians conquista a Copa do Atlântico de 1956:

https://pt.wikipedia.org/wiki/Copa_do_Atl%C3%A2ntico_de_Clubes

http://www.todopoderosotimao.com/p_titulos/atlantico_56.php

Liga dos Campeões da UEFA:

https://pt.wikipedia.org/wiki/Liga_dos_Campe%C3%B5es_da_UEFA

Taça Libertadores da América:

https://pt.wikipedia.org/wiki/Copa_Libertadores_da_Am%C3%A9rica

segunda-feira, 8 de agosto de 2016

Já passou da hora da CBF ser extinta! - Marcos Doniseti!

Já passou da hora da CBF ser extinta! - Marcos Doniseti!
Marin e Del Nero se tornaram os comandantes da CBF depois que Ricardo Teixeira saiu de cena: Precisa dizer alguma coisa?
A seleção de futebol masculino está indo mal nas Olimpíadas? Qual é a surpresa, afinal?

Surpresa seria se estivesse indo bem.

Vamos aos fatos:

1) Não tivemos nenhuma Seleção Olímpica formada e devidamente treinada e preparada para jogar nestas Olimpíadas.

Os outros esportes coletivos (principalmente o Vôlei e o Handebol) treinaram, no mínimo, quatro anos consecutivos para chegar até aqui.

O Basquete vive uma séria crise e, por isso mesmo, deverá ir mal nos jogos também;

2) Quantas vezes o time de futebol masculino jogou junto antes das Olimpíadas começarem? Quanto tempo tiveram para treinar?

Quase nada.

Resultado: Entrosamento zero.

De fato, não temos uma Seleção. O que temos é um 'catadão'.

Reuniram os jogadores na véspera da disputa, com diferentes níveis de preparação física (alguns estão no meio da temporada e outros estão no início, o que é o caso do Neymar) e, assim, não há entrosamento algum.

Não se iludam: A época em que o Brasil jogava a camisa para o alto, entrava no time quem as pegava, íamos para o jogo e conquistávamos títulos, acabou há muito tempo.

Se é que algum dia isso existiu;

3) Muitos, atualmente, ainda assistem maravilhados o futebol de altíssimo nível que a Seleção de 70 do Brasil mostrou na conquista do tricampeonato mundial, no México.

O que muitos não sabem é que aquela Seleção, que era repleta de craques (Pelé, Rivellino, Gérson, Tostão, Clodoaldo, Jairzinho, Carlos A.Torres, Piazza... todos craques incontestáveis do futebol brasileiro), ficou 4 meses seguidos concentrada, treinando para a Copa de 70;

Resultado: Show de bola e a conquista do Tri;

4) Neymar e demais jogadores que atuam na Europa nem deveriam estar disputando as Olimpíadas.

E o motivo é simples: Eles estão em início de temporada. Seus clubes estão em plena pré-temporada, fazendo jogos de preparação.

Logo, eles estão mal preparados fisicamente e sem nenhum ritmo de jogo.

Portanto, a Seleção olímpica deveria ter sido formada apenas por jogadores que atuam no futebol brasileiro, pois aqui estamos no meio da temporada e os jogadores estão muito bem preparados fisicamente e com bom ritmo de jogo;

5) Todas as seleções que disputam torneios de alto nível (no Futebol, Vôlei, Basquete) precisam de um tempo mínimo de preparação, treinamento, organização, enfim, um patamar mínimo de organização, de competência e de profissionalismo caso queiram conquistar bons resultados.

Sem isso, esqueçam.

E não tivemos nada disso no caso da Seleção masculina de futebol.

Já no caso da Seleção Feminina, o nível de preparação foi muito melhor.

As mulheres treinam e jogam juntas há muito mais tempo e, por isso, estão muito bem entrosadas. Com isso, elas jogam bem e o grau de confiança e o desempenho vão melhorando a cada jogo;

6) Com todo esse festival de amadorismo, mediocridade e incompetência que cercou a 'preparação' da seleção olímpica de futebol masculino, cobrar alguma coisa dos jogadores é injusto e equivocado.

Eles não tem culpa pela mediocridade dos dirigentes da CBF, que estão mais preocupados em fugir da Justiça do que em administrar o futebol brasileiro com um mínimo de competência e profissionalismo.

É que nestas horas não aparece nenhum dirigente para assumir a responsabilidade pelos fracassos e sobra tudo para os jogadores.

E os torcedores vão no embalo de uma imprensa esportiva medíocre, que sempre encontra um bode expiatório no qual colocar a culpa, mas não diz nada sobre a preparação inexistente da seleção;

7) Portanto, não há nenhum motivo para surpresa pelo fato da Seleção feminina ter um desempenho muito superior ao da Seleção masculina de futebol nesta Olimpíada.

Como diz Muricy: 'Aqui é trabalho, meu filho'.

Quem trabalha, acaba colhendo os resultados. E quem faz tudo na base do 'oba oba', sem qualquer preparação efetiva e bem feita, também colhe resultados, mas bem piores.

Essa CBF deveria ser extinta. Não dá mais.

Esses dirigentes incompetentes colocaram um medíocre como o Dunga para dirigir a Seleção Brasileira principal, após o fracasso na Copa de 2014, e o resultado foi uma sucessão de fracassos e de vexames, de tal forma que se as Eliminatórias da Copa de 2018 já tivessem terminado, o Brasil estaria fora da disputa. Falta menos de 2 anos para a Copa de 2018 e não temos um time formado e sequer um esquema de jogo definido.

Depois, quando chegar a Copa de 2018, se o Brasil se classificar e acabar fracassando, vão jogar a culpa nos jogadores novamente.

E os grandes culpados, os medíocres e ineptos dirigentes do futebol brasileiro, principalmente os da CBF, serão poupados.

A CBF deveria ser extinta, pois seus dirigentes já demonstraram a sua total incapacidade para gerir o futebol brasileiro com um mínimo de competência e de profissionalismo, que são essenciais para se conquistar qualquer campeonato ou torneio importante.

Fora, CBF! Acabem logo com essa porcaria. E o quanto antes.

Futebol brasileiro precisa passar por um processo de reestruturação e de reorganização:

Um ótimo exemplo de como isso poderia ser feito é a Alemanha, que sofreu uma forte queda na qualidade do seu futebol, dando vários vexames em Copas do Mundo e na Eurocopa (foi eliminada pela Bulgária na Copa de 1994, pela Croácia na Copa de 1998 e não passou da primeira fase da Eurocopa 2000, competição da qual saiu sem nenhuma vitória sequer).

Suas seleções eram medíocres tecnicamente, jogando um futebol feio, que vivia de força física, carrinhos e chuveirinhos.

O que os alemães fizeram? Culparam o 'estrelismo' de 'jogadores mimados'? Não. Nada disso.

Identificaram os seus principais problemas e reorganizaram e reestruturaram inteiramente o seu futebol.

Investiram na formação dos seus técnicos (inclusive para os das categorias de base), aprimoraram a técnica dos jogadores, identificaram os melhores talentos, colocaram-nos para jogar e treinar juntos desde jovens.

Uma outra exigência importante foi a de que qualquer clube que desejasse disputar a Primeira Divisão alemã teria que, obrigatoriamente, possuir um Centro de Treinamento para as categorias de base.

E o resultado foi o que se viu: Novos e talentosos jogadores foram revelados e, assim, a Alemanha conquistou o 3o. lugar na Copa de 2010 e o Título da Copa de 2014.

Agora, ela já está em um momento de transição, em que alguns jogadores veteranos estão saindo da Seleção (Schweinsteiger, Podolski, Lahm) e dando lugar a novos talentos.

Independente disso, a Alemanha continuará sendo uma das grandes forças do futebol mundial, pois possui uma estrutura e uma organização impecáveis.

Enquanto isso, o futebol brasileiro, com a sua falta total de planejamento, profissionalismo, de estrutura e de organização continuará sofrendo sucessivos e humilhantes fracassos, bem como continuará culpando os ‘jogadores mimados’ pelos mesmos.

Nelson Rodrigues já dizia: Subdesenvolvimento não se improvisa. É uma obra de séculos.

Haja mediocridade.


Links:

Alemanha: De fiascos na Europa à consagração:


Do El País: Brasil empata por 0 a 0 com o Iraque na Olimpíada

Seleção olímpica joga mal, empata a segunda nos Jogos do Rio e sai vaiada de campo: