Time GRANDE!

Como você sabe que um time é Grande, mas GRANDE, mesmo? Quando os torcedores de TODOS os outros times torcem contra ele, oras!

Do proprietário deste blog, Marcos Doniseti.

sábado, 20 de junho de 2009

'Panelinha' e diretores derrubam Muricy no São Paulo!!


Muricy é um técnico competente, sem dúvida alguma. Basta ver o tricampeonato brasileiro que deu ao São Paulo em 2006/2007/2008.

Porém, ele é um técnico muito pouco 'político', no sentido de que não negocia, não dialoga, não abre exceções ao seu método de trabalho. Ele não aceita qualquer interferência em seu trabalho, muito menos de diretores do clube. Exemplo: a diretoria do São Paulo queria que ele desse mais espaço para as revelações do clube (que, pelo que fiquei sabendo, investe R$ 1,5 milhão mensalmente nas suas categorias de base e exige que os garotos estudem para valer) no time profissional e Muricy sempre se recusou a fazer isso.

Me parece, também,que Muricy errou a mão em 2009. Diferentemente dos anos anteriores, o São Paulo deste ano não tem um esquema de jogo definido. E Muricy colocava os jogadores para atuar totalmente fora de suas posições (Richarlyson, Jorge Vagner, Dagoberto e Hernanes que o digam). E com isso o time não jogou absolutamente nada neste ano, praticando um futebol muito inferior ao dos anos anteriores.

Assim, em 2009, o fato é que o trabalho do Muricy foi de uma qualidade bem inferior à de 2006/2008.

Além disso, me parece que há problemas sérios de relacionamento dentro do elenco tricolor, com os jogadores novos (principalmente o Washington) sendo claramente sabotados pelos 'veteranos' da casa, como Hernanes, Jorge Vagner, Richarlyson, Hugo, Borges, Dagoberto.

Parece que esses 'veteranos' formaram uma 'panelinha' e não aceitam que jogadores que acabaram de chegar ao clube tomem os seus lugares no time titular e ganhem mais do que eles. E quando isso acontece, a 'panelinha' faz de tudo para prejudicar esses novatos que chegam com fama e fortuna ao clube (caso de Washington).

Com isso, creio que o Muricy perdeu o controle da situação, não comandando mais ninguém e com os jogadores fazendo de conta que não era com eles que Muricy. Tivemos até casos de jogadores reclamando publicamente pelo fato de ficarem na reserva e exigindo um lugar no time titular. Quando se chega a este ponto é porque o técnico não comanda mais nada. De certa maneira, os jogadores do São Paulo já haviam demitido Muricy há um bom tempo.

Desta maneira, o São Paulo somente tinha 2 saídas: ou mandava embora os jogadores que fazem corpo-mole e enquadrava os que ficassem ou demitia o Muricy.

Como o São Paulo, ao contrário do que se diz, não tem uma situação financeira suficientemente boa que lhe permita dispensar jogadores que ganham muito e sair contratando bons jogadores por aí (que também ganharão muito), a diretoria do tricolor (que já não suportava a autonomia com que Muricy trabalhava) optou pela solução mais barata, financeiramente, e que mais agradava aos 'cartolas' tricolores, que foi demitir Muricy.

Além disso, creio que Muricy também se desgastou com os 'veteranos', a 'panelinha' do elenco tricolor, tanto que Hugo, Richarlyson, Jorge Vagner, Dagoberto, estavam todos insatisfeitos com Muricy pelo fato de que quase não jogavam ou então jogavam foram da sua posição original.

Assim, Muricy entrou em conflito com os jogadores veteranos, da 'panelinha', não conseguiu administrar os problemas de relacionamento entre os novos reforços e os veteranos da 'panelinha' e, ainda, entrava em conflito com os membros da diretoria tricolor, pois não aproveitava os jogadores da base, na qual o São Paulo é um dos times que mais investe no Brasil e para os quais oferece uma excelente estrutura.

Com tantos conflitos, assim, bastou uma eliminação vexaminosa na Libertadores para que os desafetos de Muricy (tanto entre os diretores como entre os jogadores) conseguissem, finalmente, se livrar do técnico competente, mas que tem pouco 'jogo de cintura' para aceitar opiniões e sugestões de outros e que faz tanta questão de ter a última palavra em tudo que diz respeito ao seu trabalho como treinador.

A questão é: agora que Muricy foi demitido, os jogadores do tricolor voltarão a atuar com a vontade e a determinação que faltou, até o momento, em 2009? Se isso acontecer, então ficará escancarado o fato de que eles fizeram, sim, corpo-mole para derrubar Muricy. Esta não seria a primeira vez em que isso acontece no futebol e também não será a última.

E fica também a dúvida: será que o novo treinador, Ricardo Gomes, será tão bem-sucedido quanto foi Muricy? E ele terá autoridade para se impor ao grupo de jogadores? Creio que a resposta para ambas as perguntas é a mesma: dificilmente.

Além disso, se o novo treinador são-paulino não tiver respaldo da diretoria para resolver os problemas de relacionamento dentro do elenco, ele acabará sendo, no máximo, um treinador-tampão, um 'tapa-buraco', mas que não ficará muito tempo no cargo, não. E com isso as perspectivas no Brasileirão deste ano serão bem ruins para o atual tricampeão brasileiro.

Caso este cenário negativo se confirme, então existirá, inclusive, uma grande possibilidade de que o tricolor paulista sequer consiga se classificar para a Libertadores de 2010, algo que geraria uma crise muito pior do que a atual, pois a torcida tricolor adora dizer que o São Paulo disputa a Libertadores todos os anos, algo que já não acontece com os seus principais rivais (Corinthians, Palmeiras, Santos) e não perdoaria ninguém do elenco e nem da diretoria atuais caso a classificação para o torneio do qual o São Paulo é tricampeão não seja obtida.

Se os jogadores e os diretores do tricolor, aparentemente, se uniram para derrubar Muricy (e, tudo indica, que foi exatamente isso o que aconteceu), então, agora, eles têm a obrigação de levar o São Paulo, pelo menos, para disputar a Libertadores do ano que vem. Se isso não acontecer, as coisas ficarão bem mais complicadas do que já estão no atual tricampeão brasileiro e a crise atual será 'fichinha' perto da que virá pela frente.

Um comentário: