Time GRANDE!

Como você sabe que um time é Grande, mas GRANDE, mesmo? Quando os torcedores de TODOS os outros times torcem contra ele, oras!

Do proprietário deste blog, Marcos Doniseti.

quinta-feira, 14 de janeiro de 2010

Por que a FIFA considera o Mundial de Clubes do ano 2000 como o primeiro da história? - por Marcos Doniseti!

Por que a FIFA considera o Mundial de Clubes do ano 2000 como o primeiro da história?? - por Marcos Doniseti!

atualizado no dia 08 de Novembro de 2015



Muitos torcedores, os anti-corintianos em especial, questionam sobre os motivos que levam a FIFA a considerar o Mundial de Clubes do ano 2000 como o primeiro da história, bem como não aceitam que o Corinthians seja considerado como o primeiro Campeão Mundial de Clubes.

Bem, vamos esclarecer essa questão, ok?

Em primeiro lugar, nem a Copa Toyota e nem a Copa Intercontinental jamais foram organizadas pela FIFA. Eram torneios privados, organizados e promovidos por empresas e entidades privadas e com os quais a FIFA não tinha qualquer tipo de envolvimento, pelo menos na sua organização e realização.

Já o Mundial de Clubes do ano 2000 foi o primeiro a ser organizado pela FIFA.

Além disso, antes do Mundial de Clubes do ano 2000, tinhamos apenas um jogo disputado pelos campeões da Libertadores e da Europa e mais nada.

Daí, fico com uma dúvida: como uma competição do qual apenas dois times participam, sendo um da Europa e outro da América do Sul, pode ser chamado de ‘Mundial’?

Eu não sabia que o Mundo se resumia apenas à América do Sul e à Europa. E as outras regiões do planeta? África, Ásia, Oceania, América Central e do Norte? Esquece? Não contam?

Além disso, é sempre bom lembrar que a FIFA é constituída por 6 Confederações de Futebol: da América do Sul (Conmebol), da América Central e do Norte (Concacaf), Europa (UEFA), África, Ásia e Oceania.

E o primeiro Mundial de Clubes que se realizou e nos quais os campeões e representantes de todas as Confederações afiliadas da FIFA estiveram presentes foi o do ano 2000, que foi realizado no Brasil (o único país Pentacampeão Mundial de Futebol...) e do qual o Corinthians foi o vencedor, derrotando o forte time do Vasco (que tinha Romário, Edmundo...) na decisão por pênaltis e em pleno Maracanã.

Aliás, o time do Vasco era tão forte que, naquele mesmo ano 2000, o mesmo conquistou o Campeonato Brasileiro (Copa João Havelange) e a Copa Mercosul, derrotando o Palmeiras na final, em um jogo fantástico, que venceu por 4 X 3 após terminar o primeiro tempo perdendo por 3 X 0.

Mesmo assim, muitos torcedores podem questionar sobre a participação do Corinthians no primeiro Mundial de Clubes, pois o Timão não era campeão da Libertadores de 1998 (era o Vasco que, por isso, participou do torneio) e que participou da competição.

Bem, para os eternos desinformados de plantão, aqui vai o esclarecimento: o Corinthians entrou na competição como representante do País-Sede, pois tinha sido o Campeão Brasileiro de 1998.

Portanto, o Corinthians conquistou a sua vaga no Mundial de Clubes dentro de campo, jogando bola e conquistando um título importante, que é o Brasileiro de 1998.

E mesmo que a FIFA tivesse determinado que o Campeão Brasileiro de 1999 fosse o representante do Brasil na competição, isso não teria alterado coisa alguma, pois naquele ano o Corinthians conquistou o seu terceiro título brasileiro (o Corinthians conquistou 5 títulos brasileiros no total: 1990, 1998, 1999, 2005 e 2011)

Aliás, isso é algo perfeitamente normal nas competições organizadas pela FIFA e também por Confederações de outros esportes (Vôlei, por exemplo).

E nas Copas do Mundo, o País-Sede já tem vaga garantida, não precisando disputar as Eliminatórias. Isso acontece desde a primeira Copa do Mundo, disputada em 1930, no Uruguai. Com o Brasil, agora, em 2014, acontecerá o mesmo.

Inclusive, em várias Copas do Mundo o País-Sede foi o Campeão (Uruguai em 1930; Itália em 1934; Inglaterra em 1966; Alemanha em 1974; Argentina em 1978; França em 1998) e ninguém jamais contestou a legitimidade destas conquistas.

Em 1992, a Eurocopa de Seleções foi vencida pela Dinamarca, que sequer havia conseguido a classificação para a fase final da competição. Mas, com a desclassificação da Iugoslávia, em função da guerra civil no país, ela foi convidada e acabou se tornando a Campeã, derrotando a poderosa Alemanha, por 2 X 0, na final.

E nunca, ninguém, jamais questionou a legitimidade desta conquista da seleção dinamarquesa somente porque ela foi convidada a participar da competição. O fato é que ela venceu a Eurocopa de 1992 jogando bola, dentro de campo, e não no 'tapetão' ou de forma irregular.

E o mesmo raciocínio vale para o Corinthians, que foi o Campeão do primeiro Mundial de Clubes organizado pela FIFA. O Timão entrou como representante do País-Sede, jogou bola, derrotou os seus adversários dentro de campo e foi o Campeão legítimo da competição.

Portanto, somente notórios desinformados ou fanáticos irracionais podem questionar a legitimidade desta coquista do Corinthians.

Inclusive, no Mundial de Clubes do ano passado e deste ano, o País-Sede (no caso, o Japão) terá um representante, que foi (em 2011) e será (em 2012) o Campeão Japonês.

Em 2011, o representante do Japão na competição foi o Kashiwa Reysol, que acabou em quarto lugar. 

No Mundial de Clubes do ano de 2013, que foi disputado no Marrocos, tivemos um representante do país-sede, o Raja Casablanca.

O Raja Casablanca (que fez a final com o Bayern) disputou o Mundial de Clubes de 2013 porque era o representante do país-sede (Marrocos), pois o campeão africano era o Al-Ahly (do Egito; é o mesmo time que o Corinthians derrotou na semifinal do Mundial de Clubes do ano 2012); 

Se o Raja Casablanca tivesse sido o Campeão Mundial de 2013 (não foi... perdeu para o Bayern na final), seu título teria a mesma legitimidade da de qualquer outro time que disputou aquele Mundial; 

O mesmo vale para o Corinthians na disputa do Mundial de Clubes do ano 2000; 
Timaço do Corinthians que conquistou o primeiro Mundial de Clubes organizado pela FIFA. Jogadores corintianos formavam uma verdadeira Seleção. Dos 11 titulares, apenas o lateral-direito Índio e o zagueiro Adilson Batista não chegaram a disputar jogos por alguma Seleção Nacional. Dida, Vampeta, Edílson, Ricardinho e Luizão fizeram parte da Seleção Brasileira que conquistou a Copa do Mundo de 2002. 

Por isso é que a FIFA não considera os campeões da Copa Toyota e da Copa Intercontinental, mesmo sendo torneios importantes, como campeões Mundiais, e entende que o primeiro Mundial de Clubes foi o do ano 2000.

Os  vencedores destas duas competições foram campeões de um torneio internacional importante e isso pode, sim, ser comemorado pelos clubes vencedores e por seus torcedores, mas não foram e jamais serão reconhecidos pela FIFA como campeões mundiais.

Esta decisão da FIFA, inclusive, é definitiva.

E penso que a FIFA está certa.

Afinal, o Mundo não é formado apenas pela América do Sul e pela Europa, certo?

Links:

Representante do País-Sede disputou Mundial de Clubes de 2011:

http://pt.fifa.com/tournaments/archive/clubworldcup/japan2011/index.html

Dinamarca e a Eurocopa de 1992:

http://pt.wikipedia.org/wiki/Campeonato_Europeu_de_Futebol_de_1992

A FIFA e o Mundial de Clubes:
http://www.fifa.com/tournaments/archive/tournament=107/index.html

Títulos do Vasco:

http://pt.wikipedia.org/wiki/Anexo:Lista_de_t%C3%ADtulos_do_Club_de_Regatas_Vasco_da_Gama

Corinthians, o Primeiro Campeão Mundial de Clubes da FIFA!!

Corinthians, o Primeiro Campeão Mundial de Clubes da FIFA!! - por Marcos Doniseti!


O Corinthians que foi o Primeiro Campeão Mundial de Clubes da FIFA, há exatos 10 anos (sorry para os inconformados torcedores de outros times, mas é isso é algo que pode ser confirmado no próprio site da FIFA, ok?) jogava muita bola.

Do meio-de-campo para a frente foi um dos melhores times que já vi jogar, com jogadores que possuíam características complementares e que se encontravam na melhor fase das suas carreiras.

Senão, vejamos:

Rincón, que protegia a defesa e sabia sair jogando e que passava muito bem a bola;


Vampeta, que marcava bem e ainda dominava a bola em velocidade como ninguém fazia na época;

Ricardinho, o cérebro do time, o organizador das jogadas de ataque, que cadenciava o jogo, ditando o ritmo do mesmo;

Marcelinho, o coração do time, que finalizava e passava muito bem e que vivia dando assistências fantásticas para que os outros fizessem os gols, além de suas cobranças de falta sempre perigosas;

Luizão, o típico jogador de área, o centroavante como se dizia antigamente, sem grandes virtudes técnicas, mas que sabia se posicionar muito bem dentro da área e era um ótimo finalizador, além de ser muito oportunista;

Edílson, o 'capetinha', driblador, rápido, habilidoso, arisco, típico representante do futebol-moleque que consagrou o Brasil, que partia para cima dos adversários, enfiava a bola entre as pernas deles e os deixava a ver navios ou sentados no gramado como, aliás, ele fez com o Karembeu no jogo contra o Real Madrid.

E a defesa tinha um baita de um goleiro, Dida, que foi o responsável por encerrar a carreira do são-paulino Raí ao defender 2 pênaltis do mesmo numa semifinal de Campeonato Brasileiro (em 1999, se não me engano...) , uma boa e segura dupla de zagueiros, Fábio Luciano e Adílson, um jovem e talentoso lateral-esquerdo, Kléber, e até um Índio, legítimo representante dos nativos brasileiros, mas limitado tecnicamente.

Muitos questionam porque o Corinthians participou daquele Mundial de Clubes. Simples: porque foi o Campeão Brasileiro de 1998.

A FIFA definiu que o país-sede, o Brasil, teria um representante e que este seria o Campeão Brasileiro de 1998. Ah, alguém poderia perguntar, porque, então, não escolheu o Campeão Brasileiro de 1999? Bem, se isso tivesse sido feito, o resultado teria sido o mesmo, pois o Campeão Brasileiro de 1999 foi o mesmo de 1998, ou seja, o Corinthians.

Logo, a participação do Timão no Mundial de Clubes da FIFA foi mais do que legítima e não há o que discutir. Ela foi obtida dentro de campo, jogando bola.

E o Vasco? Ah, o Vasco entrou porque tinha sido o Campeão da Libertadores de 1998.

Os demais times participaram porque também haviam sido Campeões de algum outro torneio continental ou da Copa Toyota, caso do Real Madrid.

Logo, todos os participantes ganharam o direito de participar do Mundial de Clubes da FIFA 2000 dentro de campo, jogando bola, e com base em critérios exclusivamente técnicos. Não houve favorecimento algum para nenhum dos clubes.

Portanto, não há nada a ser questionado quanto à legitimidade da disputa e quanto à conquista do Mundial de Clubes do ano 2000, pelo Corinthians, Mundial este que foi organizado pela FIFA. Quem questiona a legitimidade do título corintiano o faz por pura dor-de-cotovelo e por desinformação.

Link:

http://www.fifa.com/tournaments/archive/tournament=107/index.html

segunda-feira, 4 de janeiro de 2010

Clubes argentinos fecham 2009 com prejuízos milionários!


Boca Juniors fecha 2009 com maior prejuízo entre as equipes argentinas


Um dos clubes mais tradicionais da América do Sul, o Boca Juniors fechou 2009 com um prejuízo de US$ 35,3 milhões, o maior entre os clubes da Argentina. A informação foi divulgada nesta segunda-feira pelo jornal "La Nación".

A equipe argentina tem o elenco mais caro do futebol local, com nomes como o meia Riquelme, que foi procurado pelo Corinthians, e o veterano atacante Palermo, convocado para a seleção da Argentina nas últimas rodadas das eliminatórias sul-americanas para a Copa do Mundo-2010.

O River Plate, um dos clubes mais populares do país aparece em terceiro lugar na lista, com um prejuízo de US$ 33,4 milhões --atrás do Independiente, com US$ 34,9 milhões.

Daniel Passarella, ex-técnico do Corinthians e que assumiu a presidência do River no início de dezembro, lamentou o déficit mensal de US$ 1 milhão e não prevê grandes contratações para a temporada.

O quarto clube que fechou 2009 com mais déficit foi o Newell's Old Boys (US$ 22,6 milhões), seguido do San Lorenzo (US$ 18,6 milhões).

O Lanús foi o clube que mais dinheiro arrecadou ano passado: cerca de US$ 3,4 milhões, graças à venda de jogadores. O balanço final foi de aproximadamente US$ 15 milhões, segundo Alejandro Marón, um dos diretores do clube.

Lutando para não ser rebaixado, o Racing registrou superavit de US$ 684 mil, o primeiro desde que a administração do clube voltou às mãos dos sócios, em 2007.

http://www1.folha.uol.com.br/folha/esporte/ult92u674338.shtml