Time GRANDE!

Como você sabe que um time é Grande, mas GRANDE, mesmo? Quando os torcedores de TODOS os outros times torcem contra ele, oras!

Do proprietário deste blog, Marcos Doniseti.

sábado, 16 de julho de 2011

Mantido após pressão, Tite vira unanimidade no Timão!

Mantido após pressão, Tite vira unanimidade no Timão

Corinthians colhe frutos por permanência do treinador. Sequência, hoje, resulta em liderança isolada do Brasileirão

Tite e grupo(Foto: Edson Lopes Jr)  
Mesmo com turbulências, Tite conquistou o grupo corintiano com conversa e amizade (Foto: Edson Lopes Jr)
 
Felipe Bolguese e Guilherme Palenzuela - São Paulo (SP)
 
O sucesso do Corinthians, líder do Brasileirão com 92,6% de aproveitamento, é atribuído às convicções de Tite e à relação do técnico com o presidente, diretoria, atletas, comissão técnica e funcionários do clube.

O treinador agrada com uma particularidade: faz questão de ser amigo do porteiro do CT ao principal craque do time. Não foram poucas as vezes em que teve conversas particulares em sua sala, explicando por que um jogador não seria titular ou nem sequer relacionado.

Com programa de computador e trabalhos no campo, demonstra a melhor escalação e formação tática para enfrentar determinado rival. Até por isso, não é contestado por deixar estrelas como Alex e Emerson no banco. Willian é prova de quem entendeu que tinha de esperar, quando vivia melhor fase que o então titular Dentinho.

O trabalho que dá frutos hoje esteve em xeque no dia 2 de fevereiro, quando o Timão caiu de forma precoce da Copa Santander Libertadores, ao ser eliminado pelo Tolima.

Ainda em Ibagué (COL), Andrés jurou que ele não seria demitido. Mas o clima era ruim, e a pressão de conselheiros por sua saída era grande. O presidente repetiu o discurso dois dias depois, em conversa na sala de Tite, no CT Joaquim Grava, dizendo que estavam "no mesmo barco".

- Quero fazer um agradecimento público ao Andrés Sanchez. Ele entrou na sala, olhou para mim e falou: “Vamos redirecionar.” Eu estava doído, amargo, tinha o mesmo sentimento que o torcedor.

Quando vem essa palavra de apoio, aumento meu trabalho, aumento meu carinho, faço mais. É uma forma de retribuir a confiança. Eu só agradeço - contou Tite, nesta quinta-feira, após vencer o Internacional.

No fim de semana, o Corinthians bateu o arquirrival Palmeiras por 1 a 0, no Pacaembu, sem os ídolos Ronaldo e Roberto Carlos, que nunca mais atuariam pelo clube. Tite ganhou um "respiro" para o Paulistão e teve boa campanha, chegando à decisão.

Com a derrota para o Santos na final do estadual, sua saída voltou a ser cogitada, mas o movimento no clube contra ele já perdia força. A perspectiva era de melhora, ainda mais com os reforços que estavam por vir.

O Timão logo estreou no Nacional com vitória ao bater o Grêmio por 2 a 1 no Olímpico. Só empatou com o Flamengo, e ganhou todas as outras, sendo uma vitória a goleada por 5 a 0 sobre o São Paulo. Era a afirmação de um esquema bem definido, de uma linha de trabalho, do elenco bem montado.

Depois de bater o Vasco de virada por 2 a 1 no Pacaembu, Tite encontrou com o gerente de futebol Edu Gaspar e os diretores Duílio Monteiro Alves e Roberto de Andrade, antes de entrar no ônibus da delegação. Abraçou todos e recebeu um beijo de Roberto. Prova de uma relação que resistiu às crises e vem se fortalecendo, assim como a equipe na disputa do Brasileirão.

Pressionado, Andrés não 'deixou' Mano sair

Até mesmo Mano Menezes, que virou ídolo após as conquistas da Série B (2008), Campeonato Paulista e Copa do Brasil (2009), teve sua cabeça à prêmio no Corinthians. Com a eliminação da equipe na Libertadores de 2010 para o Flamengo, membros da principal torcida uniformizada do clube foram até a sala do presidente Andrés Sanchez e exigiram a saída do então treinador.

Mano chegou a entregar seu cargo. A atitude de Andrés? Convocou uma entrevista coletiva e anunciou que não só o havia mantido, como já tinha renovado o contrato até o fim de 2011. Depois, porém, o clube confirmou a queda do preparador físico Walmir Cruz, e de seus auxiliares, Marcos Lima e Antônio Carlos Bona.

O trabalho de Mano Menezes seguiu com bom aproveitamento no início do Brasileirão, até ele receber convite da CBF para ser o treinador da Seleção Brasileira. O mandatário liberou-o de imediato, mas até hoje não poupa brincadeiras quando se encontram, dizendo que ficou uma dívida por ter deixado o Corinthians.

Principais forças do líder

1: A preparação física tem sido elogiada, inclusive pelos adversários deste Brasileirão. Eduardo Silva, chefe do departamento, é o responsável. Vale lembrar que o Timão quase não teve Libertadores durante o Paulistão, e não terá outra competição no segundo semestre, ao contrário de alguns rivais.

2: A defesa sofreu apenas quatro gols em nove jogos (média de 0,44/jogo). Mas a marcação não é mérito apenas do setor defensivo, formado por Chicão e Leandro Castán, e que tem Ralf como destaque. Sobram elogios para as ajudas dos atacantes Jorge Henrique, Willian e Liedson, trio de incansáveis. Até Emerson Sheik foge de suas características para voltar mais.

3: A força do elenco tem feito a diferença. Contra o Bahia, por exemplo, Paulinho estava suspenso e Edenilson entrou bem. O lateral-direito Alessandro é desfalque por lesão há tempos e Welder tem correspondido. O mesmo vale para as opções no meio (com Alex e Danilo) e no ataque (com Willian, Liedson, Jorge Henrique e Emerson). E Adriano ainda estreará em setembro.

4: Se a defesa é a melhor da competição, o ataque não deixa a desejar. O Timão já fez 17 gols, atrás apenas do Flamengo (18) neste quesito. A fase iluminada do volante Paulinho, do meia Danilo e dos atacantes Willian e Liedson tem dado ótimo poderio ofensivo à equipe, que foi às redes em todos os jogos até aqui.

Link:
http://www.lancenet.com.br/corinthians/Mantido-pressao-Tite-unanimidade-Timao_0_517748502.html

Nenhum comentário:

Postar um comentário