Time GRANDE!

Como você sabe que um time é Grande, mas GRANDE, mesmo? Quando os torcedores de TODOS os outros times torcem contra ele, oras!

Do proprietário deste blog, Marcos Doniseti.

segunda-feira, 19 de dezembro de 2011

Show do Barcelona contra o Santos: Somente ficou surpreso, quem não conhece o Barça! - por Marcos Doniseti

Show do Barcelona contra o Santos: Somente ficou surpreso, quem não conhece o Barça! - por Marcos Doniseti (atualizado no dia 20/12/2011)


Com todo o respeito, mas somente ficou surpreso com o baile que o Barcelona deu no Santos quem não conhece o time da Catalunha.
Assisto a quase todos os jogos do Barcelona e ele vem massacrando com os seus maiores rivais há vários, tanto no Campeonato Espanhol, como na Liga dos Campeões da Europa.
Exemplos recentes disso não faltam. No Domingo retrasado, o Barcelona aplicou um 3 X 1 no Real Madrid , em pleno Santiago Bernabéu, e deu um baile no clube madrilenho depois que empatou o jogo, aos 30 minutos do 1o. tempo, mesmo depois de ter tomado um gol aos 25 segundos do 1o. tempo. O que aconteceu? O time se descontrolou? ficou desesperado? Nada disso. O time foi se recompondo dentro de campo, equilibrou a partida e depois do gol de empate, o Barcelona começou a dar o seu show habitual, colocando o Real Madrid na roda.
No meio do ano, final da Liga dos Campeões da Europa, contra o poderoso Manchester United de Alex Ferguson, o Barça já havia dado outro show, com outro 3 x 1 a favor do time catalão, em que, após o jogo o técnico do time inglês disse que aquele tinha sido o maior baile que ele havia levado na vida e que o Barcelona atual era o melhor time contra o qual ele já havia jogado. 
Então, se o Barcelona já tinha feito isso contra o Manchester United (maior vencedor do futebol inglês nos últimos 15 anos) e contra o seu maior e histórico rival, o poderoso Real Madrid, em pleno estádio do time madrilenho, então qual foi a surpresa neste novo show dado pelo time da Catalunha, desta vez contra o bom, mas limitado time do Santos.? Surpresa, nenhuma.

O Santos tem bons jogadores? Sim... Neymar é craque (embora excessivamente badalado antes mesmo de completar 20 anos de idade). Ganso é outro excelente jogador, mas está insatisfeito há muito no clube, de onde quer sair, e não vem jogando bem há muito tempo. Arouca é um bom volante. E Borges é um goleador oportunista. Elano já teve fases bem melhores e parece que precisa mudar de clube. Mas, a defesa santista sempre foi muito limitada. Aqui no Brasil, isso não faz muita diferença, pois os jogadores do meio-de-campo e do ataque santista compensam a fragilidade da defesa. Mas, quando se enfrenta um time fortíssimo como o Barcelona, a história muda totalmente de figura. Daí, as fragilidades do time do litoral paulista ficaram escancaradas e o resultado foi esse show que o time  do Santos levou do Barça. 
Aliás, na semana passada, conversando com um colega de trabalho, eu havia dito que se o Barcelona se esforçasse um pouco ele ganharia do Santos por uns 4 X 0. E caso o esforço do time catalão fosse um pouco maior, o resultado final da partida seria uns 6 ou 7 X 0 para o Barça. Esse meu amigo protestou, dizendo que o Santos era um time muito bom, que o Neymar era um craque, mas mantive intacta a minha opinião. 
E foi exatamente isso o que aconteceu. O Barça goleou o Santos por 4 X 0 e somente não fez mais porque deu uma respirada no 2o. tempo, preferindo 'cozinhar o galo'. Senão, teria vencido o jogo por uns 6 ou 7 X 0 sem maiores dificuldades. Aliás, o time catalão criou várias outras ótimas oportunidades  para ampliar o marcador, mas não aproveitou.
O fato concreto é que não precisa ser um gênio, como comentarista de futebol, como é o Messi jogando bola, para perceber essa brutal diferença de qualidade do time do Barcelona para os outros times. Basta assistir aos jogos do Barcelona e ver o dos outros clubes, analisando-os friamente e deixando a paixão clubistíca de lado, para se constatar o quanto o time catalão é muito superior a todos os outros.

E é muito provável que, nos próximos anos, nenhum outro time do planeta venha conseguir a igualar o nível do futebol praticado pelo Barcelona, pois este somente conseguiu atingir o patamar no qual se encontra atualmente depois de muitos anos de trabalho sério nas categorias de base do clube, que recebe prioridade máxima já há mais de 30 anos, conforme declarou, recentemente, o próprio presidente do Barça, Sandro Rosell. Tanto que, na final do Mundial contra o Santos, 9 dos 11 titulares do Barça eram originários das suas categorias de base.

Quanto à filosofia de jogo do Barcelona, esta se baseia na posse da bola e no toque de bola em velocidade (e com um percentual de erros baixíssimo... na partida contra o Santos, o Barcelona trocou 736 passes - contra apenas 188 do Santos - e acertou 95% deles), na movimentação constante dos seus jogadores (o que dá várias opções de jogada para os principais armadores do time, que são Xavi e Iniesta) e num forte sistema de marcação, da qual todos os jogadores participam, incluindo as suas grandes estrelas, como são Messi, Xavi e Iniesta.

E como parte integrante desta 'filosofia' de jogo, o time do Barcelona simplesmente se recusa a dar 'chutões', quase não comete faltas contra os adversários (a não ser, é claro, quando os adversários começam a cometer faltas frequentes contra o time catalão e os árbitros são coniventes com isso, deixando de puní-los) e mesmo quando tem faltas e escanteios a seu favor, seus jogadores preferem passar a bola e organizar uma jogada de ataque do que dar 'chuveirinhos' ou chutes inúteis. Até os zagueiros e o goleiro do Barça, mesmo quando são marcados sob pressão na saída de bola, não dão 'chutões' e sempre procuram passar a bola para alguém que esteja em condições de recebê-la.

Assim, existe uma regra 'não escrita' no time do Barcelona, que diz 'É proibido jogar feio'.

Além disso, o elenco do Barcelona é de altíssimo nível técnico, e mesmo os seus 'reservas' seriam titulares em praticamente todos os outros times do futebol mundial.

E como o atual, e excelente, técnico do Barça, que é Pepe Guardiola, está no comando do time já há quatro anos, é claro que ele teve tempo suficiente para treinar e entrosar o time com base nesta filosofia de jogo que, antigamente, chamava-se de 'Futebol-Arte'.

O 'Futebol-Arte' andou meio esquecido ou desvalorizado nas últimas décadas, em benefício da correria desenfreada e do futebol de resultados, o que resultou na queda de qualidade do futebol em termos globais, principalmente no Brasil, onde técnicos que sempre falaram mal do futebol bonito e ofensivo, como é caso de Muricy Ramalho (que chegou a dizer que quem desejasse ver show, ou seja, um jogo bonito, que fosse para o teatro...) se tornaram o modelo a ser seguido pelos demais. E daí, haja paciência para ver times para os quais '1 X 0 é goleada' e que se preocupam apenas em não tomar gols e em não deixar o adversário jogar, estruturando o seu esquema em jogadas ensaiadas que procuram, apenas, em explorar os erros do adversário, sem se preocupar em construir jogadas bonitas que resultem na marcação de um grande número de gols, como faz o Barça de Pepe Guardiola.

O Brasil tem, hoje, claramente, uma Seleção que reflete essa mediocridade em que nosso futebol mergulhou após a derrota da fantástica Seleção de 1982 (repleta de craques, como Sócrates, Zico, Falcão, etc) que foi, de fato, a última Seleção que jogou um futebol-arte, bonito de se ver. De lá para cá, predominou o 'futebol de resultados' e o Brasil somente ganhou mais duas Copas do Mundo devido a alguns excepcionais talentos individuais (como foram os casos de Romário, em 1994, e de Ronaldo e Rivaldo em 2002).

Porém, a volta da hegemonia do Futebol-Arte jogado pelo Barcelona, e que já se refletiu na conquista da primeira Copa do Mundo pela seleção da Espanha, em 2010, na qual 6 dos 11 titulares eram do Barcelona (não estou incluindo nesta conta o David Villa, que já tinha sido contratado pelo Barcelona, mas que ainda não havia jogado pelo time catalão) e pela conquista de 13 dos últimos 16 campeonatos disputados pelo Barça, mostram que é possível, sim, combinar um futebol bonito e ofensivo com a conquista de títulos.

Assim, o Barcelona de Pepe Guardiola enterrou, ainda bem, a furada tese de que é preciso jogar feio para ser campeão, que predominou no futebol brasileiro e mundial nas últimas décadas, principalmente depois que a fantástica Seleção Brasileira de 1982 (infinitamente superior, tecnicamente, às seleções campeãs de 1994 e de 2002) não conseguiu conquistar a Copa do Mundo.

Espero que, com isso, o exemplo de futebol de qualidade e vitorioso que o Barcelona representa seja seguido por um número cada vez maior de clubes e de seleções pelo mundo afora.

Os amantes do verdadeiro Futebol agradecem.

Nenhum comentário:

Postar um comentário