Time GRANDE!

Como você sabe que um time é Grande, mas GRANDE, mesmo? Quando os torcedores de TODOS os outros times torcem contra ele, oras!

Do proprietário deste blog, Marcos Doniseti.

quarta-feira, 18 de julho de 2012

Os méritos de Tite e os títulos do Corinthians! - por Marcos Doniseti!

Os méritos de Tite e os títulos do Corinthians! - por Marcos Doniseti!




Um leitor de um blog esportivo escreveu, entre outros absurdos, que o Corinthians de Tite joga um futebol retranqueiro e que o time possui inúmeros 'pernas-de-pau'. 


Bem, vou comentar essas afirmações. 


Em primeiro lugar, o Corinthians fez 22 gols em toda a Libertadores (14 partidas, o que dá uma média de 1,6 por jogo), ganhou uma partida por 3 X 0 (Emelec) e outra por 6 X 0 (Nacional do Paraguai). 


Mesmo contra o Boca Jrs, o Corinthians fez 3 gols em duas partidas, enquanto que o time da La U, Universidade do Chile, que enfrentou o time argentino na semifinal, e que era considerado um time fortemente ofensivo, não fez nenhum nas duas partidas contra o clube de Riquelme e cia.


Afinal, desde quando esses são números de quem joga na retranca?


No segundo tempo da partida contra o Boca Jrs, no Pacaembu, o Timão tomou a iniciativa desde o começo, depois de ter percebido, no primeiro tempo, que o bicho não era tão feio quanto diziam, e conseguiu abrir o placar logo aos 8 minutos de jogo graças a essa ofensividade.


Além disso, fazer marcação forte e implacável sobre o adversário, como faz o Corinthians de Tite, é uma coisa. Jogar na retranca é outra, totalmente diferente. Quem é retranqueiro não parte para o ataque, como o Timão fez contra o Boca Jrs. no segundo tempo da partida decisiva, no Pacaembu.


Quem não entende essa diferença básica, entre marcação forte sobre o adversário e retranca, é porque não entende lhufas sobre Futebol e deveria se limitar comentar a respeito de Peteca, Squash, Esgrima e deixar o Futebol para quem entende alguma coisa sobre o assunto.


Além disso, o atual Corinthians não é o primeiro time que usa desse recurso, marcação forte sobre o adversário, para ganhar títulos. Isso é mais velho do que andar para a frente.


O SPFC de Muricy ganhou três títulos brasileiros consecutivos jogando desta maneira, marcando forte e sofrendo pouquíssimos gols, e os são-paulinos nunca reclamaram, e tampouco os torcedores adversários. Ninguém disse que o SPFC era um time retranqueiro e de 'pernas-de-pau' em função disso.


Afinal, esses títulos do São Paulo são tão legítimos como os do ofensivo Barcelona de Guardiola, Messi e cia., que, aliás, também exerce uma fortíssima marcação sobre os adversários. 


Então, o SPFC pode jogar assim e ser campeão, mas o Corinthians não? Isso é ridículo.


Outra coisa: O Brasil ganhou as Copas do Mundo de 1994 e de 2002 jogando deste jeito, também.


E basta assistir aos jogos dos principais campeonatos do mundo (Inglaterra, Itália, Espanha, Alemanha), hoje, para se notar o quanto os times europeus jogam forte na marcação, procurando não dar espaços ao adversário. Nem por isso eles renunciam ao jogo ofensivo, tal como o Corinthians de Tite também faz.


Mesmo a seleção da Espanha, que ganhou tudo o que disputou nos últimos anos, marca fortemente o adversário, não lhe dando espaços para jogar. E o Barcelona (time base da seleção espanhola) faz a mesma coisa.


Logo, o que Tite fez no Corinthians, até agora, não é nenhuma novidade.


Ele conciliou um forte e bem montado sistema defensivo e de marcação, com a ofensividade. Isso já foi feito, e continua sendo, por inúmeros times durante a história do futebol brasileiro e mundial.


A novidade foi que ele conseguiu fazer com que jogadores de renome e que já eram campeões antes mesmo de chegarem ao Corinthians (tais como Danilo, Fábio Santos e Alex - campeões da Libertadores - e Emerson, bicampeão brasileiro em 2009 e 2010) a jogarem dessa forma, marcando forte, correndo o tempo inteiro, contribuindo muito para que o Corinthians tivesse um forte jogo coletivo.


Com Tite no comando, esses jogadores deixaram o ego de lado em benefício do time.


Foi esse o grande (mas não o único, é claro) mérito de Tite no comando do Corinthians. Felipão também fez o mesmo em 2002 e ganhou a Copa do Mundo para o Brasil. Ele conseguiu convencer jogadores já consagrados como Ronaldo, Roberto Carlos e Rivaldo de que a união do grupo e um jogo coletivo forte era fundamental para a conquista da Copa e foi vitorioso.


Além disso, esses mesmos jogadores do Corinthians, aos quais esse leitor chama de ‘pernas-de-pau’, foram Campeões Brasileiros de 2011, depois de 38 rodadas, jogando contra outros 19 clubes, e mesmo com o Timão tendo sido muito prejudicado pela arbitragem em inúmeras partidas, como já demonstrei aqui mesmo, no blog (ver link abaixo). 


Então, que 'pernas-de-pau' são esses, afinal, que ganharam um dos campeonatos mais difícies e desgastantes do mundo e que é, há muitos anos, muito competitivo? 


E se os adversários foram incompetentes para derrotar o Corinthians, então isso significa que eles tem muito mais ‘pernas-de-pau’ do que o Timão, certo?


Estes comentários mostram que alguns anti-corintianos, na sua ânsia de querer tirar o mérito do Corinthians por suas mais recentes conquistas (Brasileirão de 2011 e Libertadores de 2012) demonstram estar totalmente desatualizados sobre a situação do futebol mundial e colocam a emoção, e seu anti-corintianismo explícito, acima da razão.


Lamentável. 


Link:


O 'Apito Inimigo' do Corinthians no Brasileirão 2011:


http://futebolefantasia.blogspot.com.br/2011/11/pha-e-o-brasileirao-2011-por-marcos.html

Nenhum comentário:

Postar um comentário