Time GRANDE!

Como você sabe que um time é Grande, mas GRANDE, mesmo? Quando os torcedores de TODOS os outros times torcem contra ele, oras!

Do proprietário deste blog, Marcos Doniseti.

domingo, 14 de maio de 2017

Corinthians 1 X 1 Chapecoense: Forte defesa da Chape e cansaço corintiano explicam o empate! - Marcos Doniseti!

Corinthians 1 X 1 Chapecoense: Forte defesa da Chape e cansaço corintiano explicam o empate! - Marcos Doniseti!
Maycon em lance da partida contra a Chapecoense, que foi disputada na Arena Corinthians e que terminou 1 X 1.
O Corinthians não fez uma boa partida contra a Chapecoense, principalmente no segundo tempo. Entendo que os principais motivos para o empate que tivemos nesta partida, ontem, na Arena Corinthians foram:

1) Eficiência do sistema defensivo da Chapecoense!

Vagner Mancini organizou um sistema defensivo, que foi muito bem montado pelo time catarinense. Ficou claro que a Chapecoense veio para São Paulo com o objetivo de evitar uma derrota e jogar em cima de eventuais erros do Corinthians. E isso funcionou. 

Com exceção de alguns momentos no início do jogo e no começo do 2o. tempo, quando atacou para conseguir o empate (o que alcançou aos 10 minutos), a Chapecoense se preocupou, quase o tempo inteiro, em se defender, tentando apenas criar alguns contra-ataques quando conseguia roubar a bola dos jogadores do Timão.

Enquanto a partida esteve 0 X 0 o time do Corinthians criou quatro boas jogadas de ataque (chute de Romero que o goleiro espalmou; cruzamento de Arana para a área, no qual Jô apenas resvalou e boa cabeçada de Rodriguinho, que passou próxima da trave). Depois dessas três jogadas o Corinthians fez o seu gol, em ótima jogada que começou com Fagner pela direita, Rodriguinho na meia-lua da grande área passou para Jô, que já dentro da área finalizou para marcar, cobrindo o goleiro). 

No primeiro tempo, mesmo depois que o Timão fez 1 X 0 (gol de Jô, aos 22 do 1o. tempo), o time de Santa Catarina continuou apenas se defendendo, dificultando a criação de jogadas do desgastado e bastante cansado time corintiano, que não conseguia jogar com a mesma velocidade e ritmo que teve no primeiro tempo. 

E o time catarinense jogou desta maneira, se preocupando apenas em se defender, até o final da primeira etapa de jogo. Foi somente a partir do segundo tempo que a Chape procurou atacar, pois estava perdendo a partida, mas depois que conseguiu o empate (W.Paulista, aos 10 do 2o. tempo) a Chapecoense voltou a se fechar totalmente na defesa.

Vagner Mancini soube orientar o seu time para que o mesmo fechasse a entrada da área e marcasse as subidas de Fagner e G.Arana, bloqueando a articulação de jogadas do cansado time paulista;

2) Erros de Contra-Ataques do Corinthians! 

O Timão teve várias oportunidades para marcar o segundo gol quando a partida ainda estava 1 X 0, mas não soube aproveitar. 

Uma das melhores chances ocorreu no início do segundo tempo, quando Rodriguinho ficou livre para chutar da entrada da grande área, mas finalizou para fora. É verdade que ele tinha visão livre para chutar, mas Jadson entrava totalmente livre na grande área e poderia ter recebido a bola e finalizado em um chute cruzado. 

Com certeza, Jadson teria feito o segundo gol, que teria sido muito parecido com aquele que marcou na primeira partida contra a Ponte Preta, e assim o Corinthians poderia ter saído com vitória neste jogo. O Corinthians teve outras chances (poucas, é verdade) para marcar, mas não soube aproveitá-las. 

3) Marcação implacável sobre Rodriguinho!

Qualquer pessoa que acompanha o Corinthians sabe que o seu melhor jogador, ultimamente, tem sido o Rodriguinho. Ele é o termômetro do time: Quando ele joga bem, o time joga bem. E se ele joga mal, o mesmo acontece com o Timão.

Por isso é que Vagner Mancini mandou fazer uma marcação fortíssima sobre Rodriguinho. A bola mal chegava nos pés do talentoso jogador do Timão e já apareciam, pelo menos, dois jogadores do time catarinense para impedir que ele organizasse alguma jogada. 

Com isso, Rodriguinho não produziu o mesmo futebol bonito e vistoso que mostrou nas partidas contra a Ponte Preta e contra a Universidade do Chile. 

Sem que Rodriguinho disputasse uma boa partida, o Corinthians também rendeu menos. Carille até tentou mudar a situação, colocando Kazim no lugar de Gabriel e recuando Rodriguinho para a posição de segundo volante, mas isso não funcionou, muito em função do quarto fator que colaborou para esse empate e que comento logo abaixo, que é o desgaste imenso que os jogadores do Corinthians acumulam em 2017;

4) Forte desgaste dos jogadores do Corinthians!

Algumas pessoas dizem que o fato de que muitos jogadores ganharem bons salários e de receberem um ótimo tratamento dos clubes, que eles poderiam jogar o tempo inteiro, todos os dias. Mas isso não é verdade.

Esportes de alto rendimento exigem muito dos atletas, que sofrem um desgaste emocional, físico e mental muito grande quando disputam uma partida de futebol de 90 minutos em grande intensidade. É necessário um período mínimo de recuperação até que o jogador possa disputar uma nova partida. 

E o Corinthians é um dos times mais desgastados atualmente. Isso aconteceu, essencialmente, devido ao fato de que desde que o Corinthians disputou as suas primeiras na Florida Cup, em Janeiro, ele não teve uma semana inteira livre sequer para treinar até o final de Abril. 

Foram três meses com o time corintiano jogando no meio e no final de semana, mal tendo tempo para se recuperar e, menos ainda, para fazer treinos táticos ou ensaiar jogadas. Somente na semana anterior à primeira partida da final contra a Ponte Preta, em Campinas, é que o Corinthians teve a sua primeira semana 'cheia', livre para treinar. 

5) West Bromwich X Corinthians: É uma 'pequena' diferença...!

Desde o início de 2017, o Corinthians já fez 30 partidas (incluindo essa contra a Chapecoense) em apenas quatro meses. Só para efeito de comparação, no mesmo período, o Palmeiras fez 26 partidas e o Santos apenas 21. 

Na Premier League, o time do West Bromwich, que é o 8o. colocado no campeonato deste ano (até antes da rodada deste final de semana) jogou 38 partidas desde 13 de Agosto de 2016, quando começou o campeonato. Assim, enquanto o time inglês fez 38 jogos em 9 meses (entre 13/08/2016 e 13/05/2017), o Corinthians disputou 30 jogos em apenas 4 meses. É uma grande diferença, sem dúvida alguma. 

E depois que conquistou o Paulista, o Corinthians ainda foi jogar no Chile, viajando na terça-feira de manhã, para jogar na quarta-feira à noite e retornar ao Brasil na quinta-feira. E os mesmos jogadores tiveram que se concentrar na sexta-feira, para jogar no Sábado à noite contra a Chapecoense. 

Inclusive, o intervalo entre as duas partidas (contra a La U e a Chape) foi inferior a 72 horas, que é o prazo mínimo que um atleta precisa para se recuperar. 

Logo, fica mais do que evidente de que a diretoria do Corinthians deveria ter atuado junto à CBF para que o jogo contra a Chapecoense tivesse sido realizado no Domingo à tarde ou à noite, mas isso não aconteceu. 

6) Mudanças no elenco e necessidade de entrosar o time rapidamente!

Além disso, como o Corinthians passou por grandes mudanças no seu elenco para esta temporada em 2017 e também efetivou um novo treinador, o sério e competente Fábio Carille, foi necessário fazer com que o time tivesse um esquema de jogo bem definido e rapidamente adquirisse entrosamento. 

E isso funcionou, tanto que o Corinthians, para surpresa de 99,99% dos comentaristas da mídia esportiva, que o consideravam como sendo a 'quarta força' do campeonato, conquistou o Paulista deste ano, deixando Palmeiras, Santos e SPFC para trás. 

Mas isso teve um preço, que é o desgaste acumulado pelos jogadores, pois para conseguir entrosar o time o treinador Carille definiu rapidamente um time titular e passou a utilizá-lo sempre, com a exceção de alguns poucos jogos. E ele foi obrigado a fazer isso porque não tinha tempo disponível para treinar no meio da semana. 

Carille montou o time do Corinthians no 4-2-3-1 e definiu um time titular que qualquer torcedor do Corinthians sabe qual é: Cássio, Fagner, Balbuena, Pablo, G.Arana; Gabriel, Maycon; Jadson, Rodriguinho, Romero; Jô. 

No entanto, as sucessivas partidas que os mesmos jogadores disputavam, no meio e no final da semana, acabam tendo um preço e isso ficou claro com a contusão muscular, aparentemente grave, que Pablo sofreu ainda no primeiro tempo da partida contra a Chapecoense. Tudo indica que ele deverá ficar afastado por várias semanas, o que será um grande desfalque, pois ele é o melhor jogador da defesa corintiana. 

Esse desgaste do time corintiano já havia ficado visível no segundo tempo da partida contra a Universidade do Chile, mas naquele momento isso não afetou negativamente o Corinthians, pois o mesmo já tinha vencido a primeira partida por 2 X 0 e vencia o segundo jogo pelo mesmo placar. Assim, bastou ao Corinthians se fechar na defesa para segurar o resultado.

Mas contra a Chapecoense a situação era totalmente diferente. O jogo não era eliminatório, o Corinthians não tinha vantagem alguma, a Chape não precisava partir para cima do Timão para ganhar de qualquer maneira, como era o caso do time chileno.

Assim, quando o time catarinense empatou a partida, aos 10 minutos do segundo tempo, faltaram 'pernas', ou seja, condição física para que os jogadores do Corinthians pudessem acelerar o jogo e, assim, tivessem condições de furar o forte e eficiente bloqueio defensivo que o time de Santa Catarina montou. 

Eu estava na Arena Corinthians assistindo ao jogo e ficou visível o cansaço dos jogadores corintianos no segundo tempo. Eles tentavam correr, para fugir da forte marcação do time catarinense e poder criar jogadas, mas não conseguiam. Faltaram 'pernas'. E isso permitiu que a Chapecoense segurasse o empate até o final da partida. 

O goleiro Cássio, inclusive, disse que 4 ou 5 jogadores do Corinthians tiveram que tomar injeções a fim de atenuar as fortes dores que sentiam e que outros dois (Pablo e Moisés) chegaram a ser hospitalizados durante a semana. Essas informações, inclusive, foram confirmadas pelo treinador Fábio Carille. 

Assim, o desgaste sofrido pelo time corintiano é inegável e prejudicou bastante o rendimento do time na partida contra a Chapecoense, principalmente no segundo tempo. 

Agora, nas próximas semanas, o Corinthians não terá jogos pela Sul-Americana e até a quarta rodada do Brasileiro não haverá partidas no meio da semana. Somente a quinta rodada (que acontecerá nos dias 6, 7 e 8 de Junho) é que será disputada no meio de semana, e na mesma o Corinthians enfrentará o Vasco, no Rio de Janeiro.

Portanto, é provável que seja possível recuperar os jogadores, que estão mais desgastados, nestas três semanas 'cheias', livres para treinamento, que o Corinthians terá. Aliás, essa será a primeira vez no ano de 2017 em que o Corinthians terá três semanas consecutivas onde disputará apenas partidas nos finais de semana. 

E olha que já estamos em Maio...

Obs1: O torcedor corintiano prestigiou o time e mais de 31 mil pessoas compareceram à Arena, proporcionando uma arrecadação de R$ 1,477 milhão (logo, o preço médio do ingresso ficou em R$ 47,64). 

Obs2: A se destacar o fair-play do Corinthians. No lance em que Pablo se contundiu, sozinho, o árbitro havia marcado falta a favor do Corinthians, mas os jogadores do Timão explicaram para o mesmo que não havia ocorrido falta alguma e devolveram a bola para o time da Chapecoense. 

Obs3: A contusão muscular e saída de Pablo logo no primeiro tempo acabou 'queimando' uma substituição do Corinthians na partida, o que foi confirmado pelo próprio Fábio Carille. Assim, ele teve apenas duas substituições para fazer no segundo tempo (ele tirou Romero e colocou Léo Jabá e colocou Kazim no lugar de Maycon). 
Links:

Cássio: Vários jogadores do Corinthians atuaram em condições precárias:

https://www.meutimao.com.br/noticia/249266/apos-empate-na-estreia-cassio-revela-que-diversos-jogadores-atuaram-debilitados-carille-confirma

Intervalo entre as partidas deve ser de 72 horas: 

http://www.sindicatodeatletas.com.br/conquistas/intervalo-minimo-entre-partidas-de-futebol.html

Nenhum comentário:

Postar um comentário