Time GRANDE!

Como você sabe que um time é Grande, mas GRANDE, mesmo? Quando os torcedores de TODOS os outros times torcem contra ele, oras!

Do proprietário deste blog, Marcos Doniseti.

sexta-feira, 16 de junho de 2017

Corinthians adota estilo mais ofensivo, derrota o São Paulo e mantém a liderança! - Marcos Doniseti!

Corinthians adota estilo mais ofensivo, derrota o São Paulo e mantém a liderança! - Marcos Doniseti!
Time do Corinthians comemora a conquista do campeonato Paulista 2017. Mesmo assim muitos duvidavam do desempenho do Timão no Brasileiro. 
Corinthians mais ofensivo!

A vitória do Corinthians sobre um dos seus principais rivais (São Paulo) neste domingo, na Arena, mostrou mais uma vez que as afirmações feitas pelo treinador Fábio Carille, de que o Timão passaria a tomar mais a iniciativa das partidas, partindo para o ataque com mais força, acabaram se confirmando.

Em várias oportunidades, nos últimos tempos, o treinador corintiano declarou que estava preparando o Timão para que o mesmo se tornasse um time que não ficasse restrito a se defender e a contra-atacar, mas que tomasse a iniciativa das partidas, atacando os adversários. 

Assim , segundo Carille, o Corinthians deixaria de ser um time meramente reativo. E isso já está acontecendo, o que ficou claro nas últimas partidas, contra Santos, Vasco e São Paulo. 

Essa nova postura do Corinthians já havia acontecido na partida contra o Santos (vencida pelo Timão por 2 X 0 na mesma Arena) quando, principalmente no segundo tempo, o Corinthians dominou inteiramente a partida, chegando a dar ‘olé’ no adversário, sendo que poderia até ter goleado o time da Vila Belmiro.

Na partida contra o Vasco, em São Januário, o Corinthians também tomou a iniciativa e marcou o primeiro gol logo no início do jogo, aos três minutos do primeiro tempo. 

E depois o Timão fez mais quatro gols, goleando o ‘Gigante da Colina’ por 5 X 2. 

E agora, contra o São Paulo, isso aconteceu novamente, com o Corinthians partindo para cima desde o início da partida, tanto que abriu o placar logo aos seis minutos de jogo, numa belíssima jogada de Marquinhos Gabriel, que lançou Romero dentro da área do tricolor. 

Romero entrou por trás da zaga, driblou o goleiro Renan e finalizou, assinalando o seu vigésimo gol na Arena Corinthians, consolidando a sua condição de artilheiro da casa corintiana. 

Aliás, não foi à toa que o próprio Romero disse, após a partida (da qual saiu ovacionado pela Fiel Torcida, que gritou o seu nome e o aplaudiu em pé quando foi substituído), que a Arena Corinthians é ‘Mi Casa’. Romero fez a sua melhor partida desde que chegou ao Corinthians, fez um gol e participou da construção da jogada dos outros dois.

E até o empate do SPFC (Gilberto, aos 17 minutos) o Corinthians criou várias outras chances de gol, mas não aproveitou as mesmas.

Rogério Ceni organizou o seu time para jogar de maneira a tentar ‘anular’ os principais jogadores e jogadas corintianas. Para isso, ele escalou o São Paulo no esquema 3-4-3. Um dos zagueiros (Douglas) foi colocado para marcar e anular Jô, que Ceni disse (antes da partida) que é o principal jogador do Timão. 

Logo, Ceni optou por uma formação essencialmente defensiva neste Majestoso, procurando jogar no contra-ataque, explorando eventuais erros defensivos do Timão (principalmente em jogadas aéreas sobre a área corintiana).

Ceni já havia feito o SPFC jogar desta maneira, defensivamente, na partida contra o Palmeiras e isso havia funcionado, resultando em vitória tricolor por 2 X 0. Mas o Corinthians está em um momento muito superior ao do time patrocinado pela Crefisa, sendo muito melhor organizado e treinado do que o seu grande rival. 

O time do SPFC até possui bons jogadores em seu time titular (o goleiro Renan, Jucilei, Marcinho, Gilberto, Pratto, Thiago Mendes) e a chegada de Maicosuel é um reforço importante, mas a defesa do time é fraca e o banco de reservas não é dos melhores. 

As falhas defensivas do SPFC foram fatais na partida contra o Corinthians, que somente não goleou o tricolor porque o Timão desperdiçou inúmeras jogadas de contra-ataque. 

Além disso, Ceni usou um esquema de jogo altamente ofensivo nos primeiros meses do ano e sempre dizia que não iria abandonar o mesmo. 

Porém, a eliminação do SPFC de três competições (Copa do Brasil, Paulista e Sul-Americana) o fez mudar de ideia, levando-o adotar um esquema de jogo muito mais defensivo no Brasileirão e que explora os contra-ataques. Mas o treinador do SPFC fez isso sem muita convicção. 

Ceni agiu assim porque o esquema altamente ofensivo adotado anteriormente acabou sendo um retumbante fracasso, o que gerou uma imensa frustração em muitos comentaristas esportivos que diziam que ele deveria manter o mesmo esquema de jogo. Ele também promove inúmeras mudanças na escalação do time, raramente repetido o mesmo time. 

Assim, o SPFC paga o preço dessa indefinição do treinador e maior ídolo do tricolor. 

O treinador do SPFC acabou adotando um estilo de jogo mais defensivo apenas em função dos péssimos resultados (as três eliminações). Mas, de fato, Ceni gostaria de fazer o contrário, colocando o time para jogar de maneira ofensiva.  

Até a partida contra o Corinthians, o SPFC tinha sofrido apenas dois gols no Brasileiro, mas somente no jogo contra o Timão o tricolor sofreu três, o que mostra que mesmo adotando um sistema que prioriza a defesa o tricolor ainda não tem um esquema de jogo bem organizado. 

Esta é uma situação muito diferente daquela enfrentada pelo ótimo treinador corintiano Fábio Carille, que é um especialista na montagem de times que possuem um forte e bem organizado sistema defensivo. Inclusive, era ele quem fazia esse trabalho (na condição de assistente) quando o Corinthians foi treinado por Tite e Mano Menezes. 

O primeiro tempo da partida foi inteiramente dominado pelo Corinthians, mas a única chance real de marcar que o SPFC teve nos primeiros 45 minutos de jogo foi bem aproveitada, com Gilberto marcando (de cabeça) o gol de empate. Mas é bom destacar que o atacante do São Paulo estava em posição de impedimento e, logo, o gol deveria ter sido anulado. 

Além disso, ainda no primeiro tempo, tivemos um pênalti claro, não assinalado pelo árbitro, para o Corinthians, quando um jogador do SPFC tocou a bola com o braço (em movimento) dentro da área do tricolor. 

Mesmo assim, com tantos erros graves de arbitragem prejudicando o Timão, este conseguiu marcar o segundo gol (aos 40 minutos), numa jogada que começou de uma roubada de bola feita por Jô nas proximidades do meio-de-campo. 

Obs1: Na partida contra o Vasco um dos gols de Luís Fabiano havia sido feito com o uso do braço e o mesmo foi validado pelo árbitro. Como se percebe, o Corinthians está precisando derrotar não apenas aos adversários, mas também aos árbitros das partidas. 

Na sequência, o artilheiro do Timão no Brasileiro tocou para Romero, que lançou o mesmo Jô em velocidade. Este entrou na área, chutou forte e cruzado, o goleiro Renan rebateu e Gabriel, entrando em velocidade e livre de marcação, chutou para o gol que, aliás, foi muito merecido, devido à ótima atuação do volante corintiano, que faz excelente temporada pelo Timão. 

No segundo tempo, o SPFC tomou mais a iniciativa, tentando empurrar o time corintiano para o seu campo de defesa, mas com isso abriu espaço para os contra-ataques do Corinthians, que em nenhum momento desistiu de continuar tentando marcar o terceiro gol. Desta maneira, o segundo tempo foi muito melhor do que o primeiro. 

E o terceiro gol do Corinthians acabou acontecendo aos 17 minutos do segundo tempo, a partir de uma bela jogada na qual ocorreu uma rápida troca de passes, curtos e precisos, entre Romero, Jadson e Jô em frente à área do SPFC. 

Romero tabelou com Jadson, recebeu de volta e tocou duas vezes para Jô que, dentro da área, estava pronto para marcar o terceiro gol corintiano quando foi derrubado por Douglas. Pênalti claro. 

Jadson converteu o pênalti. Corinthians 3 X 1. 

Em vantagem no placar, o Corinthians procurou jogar no contra-ataque, explorando o desespero são-paulino, sendo que o Timão teve inúmeras chances para marcar o quarto gol (bem como o quinto, o sexto...), mas não soube aproveitar. 

No fim, após marcar o segundo gol, feito por Wellington Nem (aos 38 minutos), o SPFC tentou pressionar o Corinthians, mas não conseguiu o empate. 

Esse jogo deixou claro que Fábio Carille precisa aperfeiçoar os contra-ataques corintianos, orientando os jogadores quanto às decisões que eles tomam no momento em que os contra ataques estão em andamento, para que os mesmos não sejam tão desperdiçados, como ainda acontece. 

Em vários contra-ataques os jogadores do Corinthians não olhavam para os lados e davam passes errados, ou então eles se precipitavam, tocando a bola rapidamente, sem esperar por um melhor posicionamento dos outros jogadores que participavam dos mesmos. Outros jogadores  optavam por finalizar, quando havia outro jogador corintiano melhor posicionado para fazer isso. 

É claro que Carille percebeu isso e que deverá treinar e orientar os jogadores para evitar que esses erros não aconteçam mais. Aliás, na entrevista pós-jogo ele falou a respeito disso. 

Então, da mesma maneira que ele garantiu que faria do Corinthians um time muito mais ofensivo, e isso já está acontecendo, é muito provável que o contra-ataque do Corinthians melhore nas próximas rodadas, desde que Carille tenha tempo para treinar, é claro. 

Mas, independente disso, a vitória corintiana foi merecida e, com isso, o Timão garantiu a permanência na liderança até o final desta rodada, somando 16 pontos, contra 15 do Grêmio, outro time que faz ótima campanha (5 vitórias e 1 derrota).

Os três gols do Corinthians contra o SPFC! 

Os três gols que o Corinthians marcou contra o SPFC já são, sem dúvida alguma, resultado dessa nova postura que Carille está procurando imprimir ao time corintiano, tornando-o mais ofensivo.

O primeiro gol corintiano contra o São Paulo surgiu em função de uma infiltração feita por Romero, por trás da zaga do SPFC, aproveitando excelente assistência de Marquinhos Gabriel. 

Aliás, M.Gabriel fez outra ótima partida, mostrando que tem plenas condições até de se tornar titular ou de, no mínimo, ser colocado para jogar com bastante frequência, principalmente quando Jadson ou Rodriguinho não estiverem em condições de jogar (em função de convocações, contusões, suspensões, desgaste físico). 

Carille deveria usar M.Gabriel em um número maior de partidas, e até começar com ele na condição de titular em alguns jogos (poupando Jadson ou Rodriguinho), aproveitando-se da sua boa fase e da confiança adquirida por ele com as suas ótimas atuações recentemente. 

Já o segundo gol do Corinthians surgiu de marcação pressão feita por Jô e que resultou em um contra-ataque bastante rápido, que foi finalizado por Gabriel. 

E o terceiro gol foi construído a partir de uma troca de passes curtos e precisos, todos de ‘primeira’, na frente da área do SPFC, cujos jogadores congestionaram a entrada da mesma. 

Mas a jogada construída pelos jogadores Corinthians abriu espaços nessa retranca. 

Ela contou com a participação de Romero, Jadson e Jô. Romero tabelou com Jadson e tocou ‘de primeira’ para Jô, que penetrou na área do SPFC e, quando ele ia finalizar, sofreu pênalti, que foi convertido por Jadson.  

Corinthians: Mudanças no estilo de jogo!

O mais importante destas partidas mais recentes (contra Santos, Vasco e SPFC) é que o Timão evoluiu bastante desde o início da temporada e fica claro que, agora, o Corinthians tem plenas condições de mudar o seu jeito de jogar durante a partida. 

O time tanto poderá adotar um estilo de jogo mais ofensivo, partindo para o ataque, procurando sufocar o adversário, como poderá atuar mais defensivamente, jogando no contra-ataque e procurando explorar os erros dos adversários. 

E a partir do momento em que o Corinthians passar a desperdiçar menos contra-ataques, o Timão também estará em condições de vencer as suas partidas com um placar mais amplo.

Nenhum comentário:

Postar um comentário