Time GRANDE!

Como você sabe que um time é Grande, mas GRANDE, mesmo? Quando os torcedores de TODOS os outros times torcem contra ele, oras!

Do proprietário deste blog, Marcos Doniseti.

sexta-feira, 16 de junho de 2017

Corinthians e Grêmio abrem vantagem e são os melhores times no início do Brasileiro! - Marcos Doniseti!

Corinthians e Grêmio abrem vantagem e são os melhores times no início do Brasileiro! - Marcos Doniseti!
Torcida do Corinthians tem comparecido em peso aos jogos do Timão na Arena. A média de público nestas partidas (Chapecoense, Santos, São Paulo e Cruzeiro) foi de 36.000 torcedores, a melhor do Brasileiro 2017.
Corinthians, Grêmio e Coritiba!

Neste momento inicial do Brasileiro fica claro que Corinthians e Grêmio são os dois melhores times do campeonato, com ambos possuindo bons elencos. Os dois clubes são, também, os times melhor organizados taticamente e que contam com dois treinadores muito qualificados. 

Não é à toa, portanto, que o Corinthians é o líder, com 19 pontos, e o Grêmio está na segunda colocação (com 18 pontos) após a disputa de sete rodadas. 

Caso estes dois clubes não percam jogadores durante a janela de transferências, então eles deverão lutar pelo título até o final do campeonato. 

O Coritiba também faz um bom início de Brasileiro, somando quatorze pontos e ocupando a terceira colocação. Sua única derrota foi para o Santos, na Vila Belmiro, partida na qual o time paranaense jogou melhor e merecia vencer. 

Porém, fica a dúvida se este desempenho do ‘Coxa’ será mantido até o final do campeonato. Se o fizer, ele poderá ser considerado a principal surpresa do Brasileiro deste ano. 

O empate contra o Bahia mostrou, no entanto, que o time parece não ter condições de brigar pelo título, embora sem bem organizado. A luta do Coritiba será por uma vaga na Libertadores. 

Resta saber também se outros times que eram apontados como os grandes favoritos ao título até antes do Brasileiro começar (Palmeiras, Flamengo, Atlético-MG) irão se recuperar ou não.

Palmeiras, Atlético-MG e Flamengo: As decepções!

Até o presente momento é inegável que as principais decepções neste campeonato Brasileiro são o Palmeiras, Flamengo e Atlético-MG. 

Os três clubes foram os que mais investiram, reforçando os seus elencos com contratações milionárias e pagando salários altíssimos para os seus principais jogadores. 

Porém, apesar disso, os resultados alcançados pelos três clubes, até a sétima rodada, são bastante decepcionantes.

Na sequência eu procuro comentar a situação de cada um deles. 

Palmeiras!

O bom e vitorioso treinador Cuca chegou há pouco tempo ao comando do time, após conquistar o Brasileiro de 2016, substituindo Eduardo Batista, e precisará de tempo para conseguir obter um melhor rendimento do seu time. 

Mas ele já percebeu a existência de alguns problemas, como o fato do time tomar muitos gols. Isso acontece porque o Palmeiras tem uma defesa fraca e que conta com pouca proteção do meio-de-campo, pois Tchê Tchê (que faz uma temporada fraca até agora) e o bom jogador venezuelano Guerra não são jogadores de marcação. 

Essa fraqueza defensiva do Palmeiras também explica a contratação, pela Crefisa/Palmeiras, do bom jogador Bruno Henrique, ex-Corinthians. Ele é bom na marcação, nos desarmes, passa bem a bola, chega na frente, finalizando bem e marcando seus gols. 

Com a chegada de Bruno Henrique alguém irá para a reserva. O mais provável é que seja Tchê Tchê. Se for levar em consideração os desempenhos recentes, Cuca irá colocar Bruno Henrique ao lado de Thiago Santos e Guerra no meio-de-campo, até para ter uma maior proteção para a defesa, diminuindo o número de gols tomados pelo time. 

Até a chegada de Bruno Henrique somente Felipe Melo e o reserva Thiago Santos possuem este perfil mais marcador entre os meio-campistas do Palmeiras, mas até agora eles não foram colocados para jogar juntos no time titular, pelo menos no meio-de-campo. 

Cuca até já experimentou jogar com três zagueiros, com Felipe Melo atuando pelo meio da zaga, mas depois voltou ao esquema com dois zagueiros. A contusão de 
Felipe Melo e a sua suspensão da Libertadores irão facilitar as escolhas de Cuca.

Assim, ele está fazendo experiências (o que é normal), mudando o esquema tático e a escalação do time a cada partida, até que ele possa descobrir qual a melhor formação e o melhor esquema de jogo para o time. 

Com isso, o Palmeiras poderá alternar partidas boas e ruins, vitórias e derrotas, até que Cuca encontre o esquema e a escalação ideal, o que levará algum tempo, como ele mesmo sabe. 

E isso poderá ser fatal para as pretensões do Palmeiras de conquistar mais um título do Brasileiro, pois a distância em relação aos líderes poderá aumentar muito, tornando inviável uma recuperação. 

E também parece que há problemas relativamente sérios de relacionamento entre alguns jogadores, o que atrapalha o desempenho do time. 

O fato de que a Crefisa ainda está tentando contratar jogadores para o time (atacante, volante) comprova que várias das contratações feitas para esta temporada não deram resultado (principalmente a de Borja), e que outras posições do time foram negligenciadas na hora de contratar, principalmente as da defesa. 

No início da temporada, o então treinador Eduardo Batista tentou impor um esquema de jogo que não funcionou, resultando na eliminação do Palmeiras do campeonato Paulista já na semifinal, e sofreu muitas críticas por parte da torcida palmeirense. As expectativas exageradas, criadas pela mídia esportiva, com certeza contribuíram 
muito para isso. 

E agora o novo treinador, Cuca, irá tomar contato com a realidade do time e terá que fazer várias mudanças. E isso terá que ser feito de maneira que não provoque conflitos entre os jogadores ou destes com o próprio Cuca. Afinal, nem todo ‘medalhão’ aceita ficar esquentando banco, não é mesmo? 

A pressão sobre o time do Palmeiras, que foi vendido (exageradamente) por uma grande parte da imprensa esportiva como sendo o ‘melhor da América do Sul’ ou ‘o Real Madrid das Américas’ e que o mesmo iria ganhar todos os campeonatos que disputasse em 2017, criou expectativas exageradas entre os torcedores do time e também entre a mídia esportiva. 

Toda essa instabilidade fez com que o Palmeiras tivesse um desempenho ruim no campeonato Paulista, competição na qual o time sequer conseguiu chegar à decisão, bem como ficasse quatro jogos sem vencer e sem marcar nenhum gol neste Brasileiro: Foram três derrotas, para a Chapecoense, SPFC e Coritiba, e um empate, com o Atlético-MG, em seu campo. 

Na sexta rodada o time subiu de produção e derrotou um Fluminense que jogou desfalcado, inclusive do seu atacante Richarlison, que se envolveu em uma polêmica com o próprio Palmeiras, que tentou a sua contratação. 

Mas o interessante a se observar nesta vitória do Palmeiras é que ela aconteceu na ausência de alguns ‘medalhões’ do time (Dudu e Borja), enquanto que outros jogadores menos cotados do elenco (Roger Guedes e Keno) jogaram como titulares e tiveram um desempenho muito bom. 

Outro jogador reserva, Thiago Santos, entrou durante a partida e também jogou muito bem. 

No entanto, agora o Palmeiras voltou a ser derrotado pelo Santos, na Vila Belmiro, embora tenha criado mais chances de gol, mas o goleiro Vanderlei fechou o gol santista, fazendo defesas excepcionais e garantindo a vitória, tal como já havia acontecido na partida contra o Coritiba. 

É bom ressaltar que o Palmeiras foi prejudicado pelo fato do árbitro não ter assinalado um pênalti escandaloso cometido sobre Edu Dracena. 

Então, fica claro que o time do Palmeiras joga melhor na ausência de alguns dos ‘medalhões’.

A questão é: Será que Cuca tomará a iniciativa de colocar tais ‘medalhões’ – que ganham altos salários - na reserva? E se ele o fizer, tais ‘medalhões’ irão aceitar essa condição? E se não aceitarem, Cuca terá respaldo da diretoria ou da Crefisa para tirá-los do time titular?

Veremos. 

Atlético-MG!

O Atlético-MG parece que está sofrendo com a chegada de Roger Machado, treinador que possui um perfil muito diferente daqueles que treinaram o Galo nos anos anteriores (Levir Culpi, Marcelo Oliveira) e que procuravam fazer o time jogar de maneira bastante ofensiva, sem se preocupar muito com a marcação e com a defesa. 

Assim, o Galo era um time que fazia muitos gols, mas que também sofria muitos gols. 

Roger é um bom treinador, mas ele valoriza mais a organização de um forte sistema defensivo e uma forte marcação sobre os adversários do que o jogo ofensivo. 

Logo, a sua filosofia de jogo é muito diferente daquela que vigorou no Atlético-MG nos últimos anos e essa mudança nem sempre é bem assimilada por um grupo de jogadores que estava bastante acostumado com o esquema de jogo anterior. 

Assim, ele está tendo grandes dificuldades para impor essa filosofia de jogo, pois o Galo parece que não tem jogadores com o perfil adequado para que ele possa adotar tal esquema. 

As recentes contratações feitas pelo Atlético Mineiro (Valdívia, Marlone) não foram de jogadores fortes na marcação, mas que atuam mais ofensivamente. Outros nomes importantes do elenco atleticano (Fred, Elias, Robinho) também são jogadores com um perfil bastante ofensivo. 

Um exemplo desse dilema foi o jogo contra o Palmeiras, no qual o Galo se preocupou apenas em se defender, conseguindo um bom empate (0 X 0) fora de casa. Mas durante o jogo a bola quase não chegava ao ataque e, com isso, Fred ficou sem ter o que fazer, pois ficou totalmente isolado, e acabou sendo substituído. 
Inclusive, com esse esquema que Roger adotou o goleador Fred passou a marcar muito menos gols, tendo ficado vários jogos seguidos sem marcar nenhum. Fred, com certeza, não deve estar muito feliz com essa nova maneira de jogar do Galo. 

É como se estivesse acontecendo, no Atlético-MG, uma queda-de-braço entre os jogadores, que gostariam de jogar de forma mais ofensiva, e o seu treinador, de mentalidade mais voltada para montar um sistema de jogo baseado na defesa e na marcação fortes.

Parece que existe uma incompatibilidade entre a maneira de Roger Machado enxergar o futebol e os jogadores que possui no elenco atleticano. 

Nestes casos, o consagrador treinador José Mourinho recomenda que o esquema tático do time deverá ser adaptado às características dos jogadores e não o contrário. 

Com todas essas dificuldades, o Atlético-MG somou apenas seis pontos nas sete primeiras rodadas do Brasileiro, o que é um desempenho fraquíssimo para um time que investiu tanto e que tem uma das maiores folhas salariais do futebol brasileiro. 

Assim, o Galo mineiro está na décima sétima colocação e e já é o primeiro time na zona de rebaixamento (Z4). 

A dúvida que fica é se Roger Machado irá insistir em impor um jogo mais defensivo e de forte marcação, como é de sua preferência, ou se acabará se rendendo ao DNA mais ofensivo do time mineiro.  

Flamengo!

Quanto ao Flamengo, está claro que o treinador Zé Ricardo não consegue definir um padrão de jogo para o time, que vive de jogadas individuais e de bolas cruzadas na área dos adversários, o que é muito pouco quando se leva em consideração a qualidade do elenco do Flamengo. 

Assim, apesar de ter um time formado por jogadores que ganham altos salários, o Flamengo está rendendo muito menos do que se esperava e conquistou apenas dez pontos nas sete primeiras rodadas, o que é muito pouco em se tratando de um time que investiu tanto e que tem como objetivo a conquista do título do Brasileiro.  

É mais do que evidente que o Flamengo precisa de um novo e melhor treinador, que defina um padrão de jogo eficiente e que saiba fazer o time obter um melhor rendimento. 

A chegada de Everton Ribeiro, do zagueiro Rhodolfo, a volta de Diego e a estreia de Conca são reforços importantes, mas se o time não definir rapidamente um jeito de jogar, isso poderá não ser suficiente para colocar o Flamengo na disputa pelo título do Brasileiro. Porém, uma melhora no rendimento do time é o mínimo que se pode esperar com a contratação de tantos reforços. 

Mas entendo que caso a diretoria do Flamengo insista em manter Zé Ricardo no comando do time por muito mais tempo, o mais provável é que o time terá irá brigar para conquistar uma vaga na Libertadores de 2018, mas o título ficará algo distante.

Outros Times!

São Paulo!

O SPFC venceu os três jogos disputados no Morumbi (contra Avaí, Palmeiras e Vitória), mas também perdeu as três primeiras partidas que fez fora de casa (para Cruzeiro, Ponte Preta e Corinthians). Agora, mesmo sem jogar muito bem, conseguiu empatar com o Sport, no Recife. 

Com uma campanha dessas, o São Paulo também não terá chance alguma de conquistar o título, o que já foi admitido até pelo próprio Rogério Ceni. 

Embora o time titular do São Paulo tenha bons jogadores (o goleiro Renan Ribeiro, Pratto, Gilberto, Jucilei, Maicosuel) o problema do time é a falta de um bom banco de reservas. 

Em um campeonato tão longo como é o Brasileiro isso poderá ser fatal para as pretensões do tricolor. Justamente por isso é que o SPFC ainda está procurando se reforçar, tentando a contratação de Petros e do zagueiro Arboleda (da seleção do Equador).

Se o time não sofrer tanto com contusões e suspensões de seus titulares, reforçar o seu elenco e não sofrer com a saída de jogadores no meio do ano, o SPFC deverá conquistar uma vaga na Libertadores de 2018. 

Uma vantagem do São Paulo em relação aos demais times é que as três eliminações do primeiro semestre fizeram com que o time acabasse sendo o único, entre as principais forças do Brasileiro, que disputará apenas um campeonato até o final de 2017, fazendo com que os jogadores acumulem um desgaste menor. 

Mas o que pode impedir o SPFC de fazer um melhor campeonato é a indefinição de Rogério Ceni quanto ao que seria o melhor esquema de jogo (defensivo ou ofensivo) ou a melhor formação tática (4-3-3; 3-4-3; 3-5-2) para o time, o que também não ajuda em nada a melhorar o desempenho do time, é claro.

Entendo que, no primeiro semestre, Ceni cometeu o erro de embarcar na onda de comentaristas esportivos bajuladores, que nada sabem sobre futebol, que diziam que tomar dois gols por jogo, em média, no campeonato Paulista não teria nenhuma importância. 

E com isso o SPFC foi eliminado das três competições que disputou no primeiro semestre, o que obrigou Ceni a rever os seus conceitos. 

E até agora ele não definiu o que deseja para o time do São Paulo, embora tenha adotado um estilo de jogo bem mais defensivo no campeonato Brasileiro, algo perfeitamente normal após os fracassos que acumulou, até agora, neste ano. 

Santos!

O time do Santos começou o Brasileiro muito mal, o que resultou na demissão do treinador Dorival Jr. logo após a derrota para o Corinthians (2X0). 

Sob Dorival Jr, o Santos jogava explorando os contra ataques em velocidade, mas a sua saída ocorreu muito provavelmente em função do desgaste no relacionamento com uma parte importante do elenco. E sabe-se também que o pagamento dos jogadores está atrasado em alguns meses (direitos de imagem), o que acaba influenciando no desempenho do time. 

Depois da saída de Dorival Jr., o ex-jogador Elano comandou o time em duas vitórias seguidas, sendo que uma delas foi contra o Botafogo, com o gol (marcado por Victor Ferraz) saindo numa cobrança de falta que não aconteceu. A outra vitória foi sobre o Atlético-PR (na Arena da Baixada), time de pior campanha neste Brasileiro até o momento, em dois gols marcados no... contra ataque. 

Agora, o treinador Levir Culpi assumiu o comando do time praiano e o time derrotou o Palmeiras, embora tenha criado menos chances do que o time patrocinado pela Crefisa e o Santos contou com a não marcação de um pênalti escandaloso para o Palmeiras.  

Levir Culpi é um treinador experiente, sendo mais brincalhão e descontraído, mas que tem outra filosofia de jogo, muito diferente daquela adotada por Dorival Jr, colocando seus times para jogar ofensivamente, tomando sempre a iniciativa das partidas.

Mas na montagem dos seus times ele se descuida da marcação e da organização do sistema defensivo e os mesmos acabam tomando muitos gols. 

O Atlético-MG de 2015, treinado por Levir e que foi Vice-Campeão Brasileiro, por exemplo, tinha um esquema de jogo bastante ofensivo e que marcava muitos gols. 

Mas o Galo treinado por Levir sofria com uma defesa frágil e que levou três gols do Corinthians jogando em casa e que também sofreu quatro gols do Santos (na Vila Belmiro) e do Sport (no Recife). E não é possível conquistar títulos tomando tantos gols. 

O futebol moderno exige que os times sejam equilibrados, tal como não cansa de dizer o Mestre Tite, com os três setores do time (defesa, meio-de-campo e ataque) tendo um bom desempenho. 

Resta esperar para ver como é que Levir Culpi irá organizar o time da Baixada Santista neste Brasileiro. É evidente que ele irá adotar a sua filosofia de jogo, que é bastante ofensiva. 

Mas ele somente poderá fazer isso quando tiver tempo de treinar o time com base na sua filosofia de jogo, o que irá demorar um pouco, pois as próximas rodadas do Brasileiro terão jogos no meio e nos finais de semana e o Santos ainda terá jogos pela Copa do Brasil e pela Libertadores. 

Mas a questão é se os jogadores do ‘Peixe’ irão ‘abraçar’ esse esquema de jogo de Levir ou não e, ainda, se o novo treinador santista irá se preocupar em ter uma defesa mais sólida ou não. 

Caso as respostas sejam positivas, então o Santos poderá terminar o campeonato entre os quatro primeiros colocados e, até, brigar pelo título. No momento, eu coloco o time santista brigando por vaga na Libertadores, mas o desenrolar do campeonato é que irá definir se o mesmo poderá ambicionar algo mais. 

Afinal, o time tem bons jogadores (dois ótimos goleiros, Vanderlei e Vladimir, Lucas Lima, Victor Ferraz, Bruno Henrique, Vitor Bueno, Renato, Thiago Maia, Zeca), mas um esquema de jogo equivocado poderá colocar tudo a perder.  

E caso isso venha a acontecer, então Levir Culpi deverá terminar o ano novamente desempregado e o Santos não conseguirá sequer se classificar para a Libertadores. 
Botafogo, Vasco e Fluminense!

Botafogo!

O Botafogo tem um time e um elenco mais limitados do que as principais forças que disputam o campeonato Brasileiro, mas em compensação o time possui um excelente treinador, Jair Ventura, que é um dos melhores do futebol brasileiro atualmente. 

Jair Ventura consegue fazer com que o time do Botafogo seja bem organizado e tenha um rendimento melhor do que poderíamos esperar se levarmos em consideração a qualidade individual dos jogadores. 

Isso talvez ajude a explicar porque o Botafogo está em décimo segundo lugar e somou apenas nove pontos até a sétima rodada.

E a boa campanha do Botafogo na Libertadores, até agora, também poderá levar o clube carioca a priorizar tal competição, em prejuízo do Brasileiro. 

Com isso, o time da ‘Estrela Solitária’ poderá conquistar uma vaga para disputar a Taça Libertadores no próximo ano, tal como já aconteceu em 2016, mas não vejo nesse time condições de brigar pelo título do Brasileiro. 

Vasco!

O Vasco já levou duas goleadas neste início de campeonato (4 X 0 do Palmeiras e 5 X 2 do Corinthians) e tomou quinze gols em apenas seis rodadas. 

Então, mesmo com a presença do bom Nenê e do ainda goleador Luís Fabiano, fica claro que se o Vasco não arrumar a sua defesa ele irá, novamente, brigar para não cair para a Série B.

O que fizeram com o Vasco...

Fluminense!

O Fluminense tem um dos melhores treinadores em atividade no futebol brasileiro (Abel Braga), mas também possui um time formado por muitos jogadores jovens e inexperientes, embora possuam qualidades. 

A presença de Abel e dos bons Gustavo Scarpa, Richarlison e Henrique Dourado pode ajudar o time a brigar por uma vaga na Libertadores. Mas para isso o time necessita melhorar o seu sistema defensivo, que também tomou muitos gols (13) nas sete primeiras rodadas.  

Como disse o treinador do Fluminense, após a derrota para o Palmeiras por 3X1, ‘time que toma muitos gols não ganha troféu’. E a derrota para o Grêmio, em pleno Maracanã, mostrou novamente essa fragilidade defensiva do tricolor das 
Laranjeiras. 

Então, caso Abel não conserte o sistema defensivo do tricolor carioca, mesmo uma vaga na Libertadores de 2018 poderá vir a se tornar um sonho distante. 

Bahia, Chapecoense, Cruzeiro e Ponte Preta!

Outros quatro times tiveram um início um tanto quanto irregular no Brasileiro: Bahia, Chapecoense, Cruzeiro e Ponte Preta têm dez pontos cada um, mas alternam partidas boas e ruins. Mantido este ritmo eles ficarão fora da disputa pelo título, é claro.

Porém, eles deverão ser aqueles times que irão tirar muitos pontos das principais forças (ou que são consideradas desta maneira), o que já estão fazendo. 

A Ponte Preta já empatou com o Atlético-MG (em BH) e a Chapecoense derrotou o Palmeiras (1X0) e empatou com o Corinthians em 1X1 (na Arena deste), além de ter derrotado o Cruzeiro no Mineirão (2X0). O Cruzeiro, por sua vez, derrotou o SPFC em Belo Horizonte (1X0). O Bahia derrotou o Cruzeiro, na Fonte Nova, e empatou com o Coritiba, fora de casa. 

É provável que este quarteto não chegue a entrar na disputa do título, mas os três deverão participar da disputa por uma vaga na Libertadores de 2018. 

Ponte Preta!

A Ponte Preta perdeu alguns jogadores importantes (William Pottker e Clayson), mas trouxe alguns reforços experientes (Emerson Sheik e Rodrigo, ex-Vasco). O experiente goleiro Aranha, o bom Renato Cajá, o rápido lateral Nino Paraíba e o atacante Lucca são alguns dos destaques do time, que é bem organizado e bem treinado por Gilson Kleina. 

O time costuma conquistar bons resultados quando joga em Campinas, mas não consegue bons resultados quando joga fora. 

Assim, a Ponte Preta poderá até brigar por uma vaga na Libertadores, mas a disputa pelas mesmas é acirrada. Então, o mais provável é que o time de Campinas conquiste uma vaga na Sul-Americana de 2018. 

Cruzeiro!

O Cruzeiro procurou se reforçar nos últimos tempos com jogadores conhecidos e experientes (Robinho, Thiago Neves, Rafael Sóbis, Rafael Marques) e trouxe Hudson do SPFC. 

Mano Menezes é um treinador competente e vitorioso, mas não vejo no Cruzeiro, ainda, qualidades para disputar o título do Brasileiro. Mano sempre adotou, nos times em que trabalhou, um estilo de jogo caracterizado por uma forte marcação e por um sistema defensivo bem organizado. 

Mas os mesmos times treinados por Mano não são conhecidos por fazer muitos gols e por tomar a iniciativa do jogo, muito pelo contrário. 

Na partida contra a Chapecoense, disputada no Mineirão, o Cruzeiro também demonstrou ter muitas dificuldades para criar jogadas de ataques e chances de gol quando enfrenta times bem organizados em seu sistema defensivo. 

E isso aconteceu na partida contra um desgastado Corinthians, que foi melhor no primeiro tempo, mas que cansou nos últimos 30 minutos de jogo. O Cruzeiro pressionou o Timão durante todo esse período final da partida, mas não conseguiu marcar e saiu derrotado.

O Cruzeiro será sempre um time bem organizado dentro de campo e também será um adversário difícil de ser derrotado, principalmente quando jogar defensivamente.

Mas caso o time mineiro queira ter maiores ambições no Brasileiro, então Mano deverá procurar superar essas deficiências e terá que colocar o time para tomar a iniciativa das partidas, até porque ele tem jogadores de qualidade no elenco para fazer isso. 

Chapecoense!

O time da Chapecoense foi reorganizado após a horripilante tragédia que atingiu o time de Santa Catarina em 2016 e que abalou o mundo do futebol. 

A Chapecoense tem um experiente e bom treinador (Vagner Mancini), que conseguiu definir um padrão tático para o time, caracterizado por um forte sistema defensivo e uma marcação bem feita, que deixa poucos espaços para os adversários. 

Ela obteve alguns bons resultados no início do campeonato (empate com o Corinthians na Arena; venceu o Palmeiras em Chapecó e derrotou o Cruzeiro em BH), mas foi goleada pelo Grêmio (6 X 3), de forma surpreendente, em seu próprio estádio e perdeu da Ponte Preta na sequência. Depois, derrotou o Vasco em seu estádio (7a. rodada). 

Isso demonstra uma certa irregularidade por parte do time catarinense e fica a dúvida se isso irá continuar ou não, mas isso mostra que a Chapecoense tem condições de conquistar uma vaga na Libertadores de 2018. 

Bahia!

O Bahia parece que tem um time que poderia vir a surpreender neste Brasileiro, sendo que somou dez pontos, até a sétima rodada, e está em sexto lugar na classificação. 

A questão é se esse bom início do tima baiano poderá se manter durante um campeonato tão longo e desgastante quanto é o Brasileiro, no qual ter um bom time titular não é suficiente e possuir um bom elenco é essencial.

Após a saída do seu treinador (Guto Ferreira), que foi para o Internacional, o Bahia contratou Jorginho (ex-Vasco), cuja filosofia de jogo é caracterizada por marcação e sistema defensivo forte. 

Assim, não foi à toa que a derrota para o Grêmio (em Porto Alegre) se deu apenas por 1 X 0 e o gol gremista saiu quando faltavam cerca 6 minutos para o final da partida. E depois o Bahia conseguiu empatar com o Coritiba, fora de casa, em um jogo no qual teve várias oportunidades para marcar e vencer a partida. 

Caso o Bahia mantenha esse bom rendimento durante todo o campeonato então ele poderá surpreender e lutará por uma vaga na Libertadores de 2018. Se não mantiver o ritmo, é provável que se classifique para a Sul-Americana. 

Brigar para não cair!

Além do Vasco, outros times que parece que vão brigar para não serem rebaixados são o Atlético-GO, Atlético-PR , Avaí, Sport e Vitória. Eles são os times que, junto com o Vasco, neste início de campeonato, mostram que possuem as maiores fragilidades. 

Com certeza, alguns destes times estarão entre os quatro rebaixados ao final do Brasileiro. Resta saber quais serão, bem como se o Vasco também fará parte do grupo ou não. 

Resumindo a situação ATUAL (até a 7a. Rodada):

Brigam pelo Título: Corinthians e Grêmio;


Surpresa do campeonato (até a 7a. rodada): Coritiba;

Brigam por vagas na Libertadores 2018: Bahia, Chapecoense, Coritiba, Cruzeiro, Ponte Preta, Santos, São Paulo, Botafogo e Fluminense;

Brigam para não cair para a Série B: Atlético-GO, Atlético-PR, Avaí, Sport, Vasco, Vitória. 

Times com condições de recuperação, mas que precisam melhorar MUITO: Palmeiras, Atlético-MG e Flamengo. 

Obs2: Esta avaliação foi feita com base nos resultados acumulados até a sexta rodada. Essa avaliação NÃO É uma previsão para o resultado final do Brasileiro. 
Afinal, o cenário poderá mudar muito até as rodadas finais do campeonato e por vários motivos.

A janela de transferências poderá enfraquecer alguns times, enquanto que outros clubes deverão trocar de treinadores ou fazer algumas contratações, reforçando os seus elencos, e poderão se recuperar durante a competição. 
É isso.

Classificação do Brasileiro (até a 7ª. Rodada)!

1 - Corinthians 19;
2 - Grêmio 18;
3 - Coritiba 14;
4 - Chapecoense 13;
5 - Santos 12;
6 - Bahia 10;
7 - São Paulo 10;
8 - Cruzeiro 10;
9 - Ponte Preta 10;
10 - Fluminense 10;
11 - Flamengo 10;
12 - Vasco 9;
13 - Botafogo 8;
14 - Sport 8;
15 - Palmeiras 7;
16 - Atlético-GO 6;
17 - Atlético-MG 6;
18 - Vitória 5;
19 - Avaí 5;
20 - Atlético-PR 5.

Nenhum comentário:

Postar um comentário